terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

O que é preciso para montar um cultivo indoor?

plantar maconhaUma coisa é certa, a cada dia que se passa mais os brasileiros maconheiros estão agindo de forma promissora para cultivarem a sua própria erva e saírem das garras do narcotráfico. E você, já adiantou seu cultivo? Está querendo montar um indoor e não sabe por onde começar? Aqui vão algumas dicas.

Primeiramente  deve-se pensar no espaço, você irá usar um cômodo inteiro da casa ou irá comprar ou construir uma estufa? A estufa é mais prática, pois você pode vedar toda entrada indesejada de luz apenas fechando um zíper, e se for em um cômodo inteiro pode ter mais problemas para evitar que entre luz durante o período que a planta deve ficar no escuro, o que é fundamental para que ela produza resina.

No mais, você precisa pensar na luz, você quer gastar um pouco mais e ter rendimentos maiores ou quer gastar o mínimo possível obtendo o rendimento que for possível? Essa escolha fará toda a diferença no gasto nas suas compras e na conta de energia mensal. Colocando uma lâmpada HQI de 150w na fase de crescimento (vegetação) você gastará mais com energia do que usando alguns tubos de lâmpadas fluorescentes de 20w, o resultado deve ser parecido se você completar aproximadamente os 150w usando 8 lâmpadas fluorescentes, que gastarão menos. Na floração é importante que o espectro de cor da luz mude de branco para amarelo, é por isso que se usam as lâmpadas HPS, e quanto mais potente for, maiores serão suas flores e mais cara ficará sua conta de luz. Já existem as lâmpadas fluorescentes amareladas, que ajudam a substituir durante essa fase.

Ventilação é um fator primordial para a vida da planta de maconha, e muita gente que monta um cultivo indoor não se atenta a isso e simplesmente se depara com plantas que não se desenvolvem, e a resposta pode ser simplesmente a falta de ar. Devem ser instalados cooler que levam o ar fresco de fora para dentro da estufa e outros que jogam fora o ar de dentro da estufa, para ocorrer uma troca de ar frequente. Além disso , ventiladores portáteis dentro da estufa são indispensáveis, tanto para as planta aguentarem o calor, como para elas respirarem e transpirarem de forma adequada.

Tomando cuidado com isso tudo, só resta o fator final, a fertilização. Se você for cultivar em ambiente interno, atente-se para que tipo de fertilizante colocará nas plantas, dando prioridade aos químicos e/ou minerais, e nunca pelos orgânicos. Isso tudo simplesmente pela questão do odor. A maioria dos fertilizantes orgânicos tem um cheiro ruim, pois eles são oriundos normalmente de restos residuais de matéria orgânica decomposta, como peixes ou algas marinhas, e o fedor já é ruim em ambientes abertos, mas suportável, porém em ambientes fechados você irá se arrepender muito de colocar um desses fertilizantes de peixe por exemplo, pois não conseguirá ficar dentro do quarto onde se encontra a estufa por muito tempo, e o fedor pode durar por 1 semana após aplicado o fertilizante.

Sabendo dessas coisas, faça seus cálculos e pense se está dentro de seu orçamento um cultivo indoor, que com certeza gasta mais do que um outdoor, mas tem a vantagem da discrição. Afinal, segurança em primeiro lugar, pois nada no mundo compra sua liberdade!

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Eliminando machos de maconha com precaução

cultivar maconha
Se você está cultivando sua própria cannabis, você está fazendo isso para produzir algumas flores nobres. Por esta razão, é extremamente importante identificar e remover plantas masculinas antes que elas tenham a chance de produzir seu pólen e transformar o seu material de fumar em uma sacola cheia de sementes.

O problema de plantas de cannabis macho pode ser totalmente evitado usando sementes de maconha feminizadas. No entanto, se você escolheu cultivar algumas sementes regulares, é muito importante saber como identificar os machos rápido. Plantas de cannabis machos não produzem o material bom de fumar, e não contêm qualquer quantidade de THC. Portanto, não mantê-los por perto se quiser fumar coisa boa.

IDENTIFICAR plantas de cannabis MASCULINAS
Infelizmente, não há nenhuma maneira de dizer qual sexo suas sementes de cannabis terão logo no início. Você tem que esperar por uma planta para mostrar o seu sexo. Isso acontece durante a fase de pré-floração, quando a planta começa a colocar sua energia para reprodução.

Se uma planta de cannabis é do sexo masculino, ela vai começar a desenvolver pequenos sacos de pólen nos seus nós (a área onde ramos crescem do tronco). Eles se parecem com pequenas bolas, seja por conta própria ou em grupos, como cachos de bolinhas, dependendo quão longe na pré-floração sua planta esteja. Por outro lado, se uma planta é do sexo feminino, seus nós começarão a produzir cálices imaturos, cada um com um ou dois pistilos delgados e brancos.

Identifique o sexo precocemente
Há um par de técnicas que você pode aproveitar, a fim de eliminar as plantas de cannabis masculinas de sua colheita antes que elas entrem na fase de pré-florescimento. Isso permite que você possa removê-los cedo, e impede que você desperdice tempo e recursos sobre eles.

Primeiramente de tudo, é importante que você possa acompanhar suas plantas diariamente, ter um tempo para elas, e assim estar sempre atento aos sinais de pré-floração.

Se seu cultivo for indoor, você simplesmente muda o ciclo de luz para toda a safra de 12/12. Isto fará com que comece a pré-floração, e uma vez que você tenha certeza de cada sexo das plantas, você pode mudar de volta para um ciclo de luz vegetativo - sua cannabis será revertida para o seu crescimento vegetativo dentro de 24 horas. O problema com este método é que leva cerca de 2 semanas para o trabalho.

Esta técnica funciona particularmente bem se você está procedendo a tomar clones das fêmeas - dessa forma, você pode ter certeza de ter um grow feminizado 100%.

Hermafroditas
Em algumas situações, uma planta de cannabis pode virar hermafrodita. Isso significa que ela produz ambos os órgãos reprodutores masculino e feminino (ambos sacos polínicos e cálice), de modo a te obrigar a ficar atento. Isso só acontece geralmente quando uma planta de cannabis se torna cada vez mais estressada, e teme por sua vida. Tornando-se hermafrodita é um mecanismo de sobrevivência que, em teoria, assegura a sobrevivência permanente da planta - que elas podem polinizar-se.

Como um hermafrodita poderia transformar buds de outras plantas em sementes, certifique-se de removê-los assim que eles são encontrados.
Nota: pólen Hermafrodita pode ser usado para produzir sementes feminizadas quando usado corretamente, mas esta é uma técnica muito avançada de produção de sementes, e não é relevante para um cultivador por hobby tentando produzir flores.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Existem variedades de maconha que não te dão larica?

efeitos da maconhaSempre à procura de novas formas de inovar, a indústria de cannabis está procurando criar uma linhagem de cannabis que não provoque larica.

O mercado de cannabis, especialmente em lugares onde a cannabis agora é legal, tem uma indústria em expansão que faz qualquer um pular a bordo de um monte de dinheiro. Agora, imagine combinando isso com a indústria de dieta e bilhões de dólares. Bem, isso é o que um empresário espera fazer.

De acordo com o trabalho por GW Pharmaceuticals, o canabinoide THCV parece suprimir o apetite, e embora este canabinoide tenha sido eliminado de muitas cepas através das cruzas, ainda existem algumas com ele restante. É a esperança de Bethenny Frankel, fundador e idealizador da marca bebidas alcoólicas de baixa caloria 'Skinnygirl', para aproveitar essa linhagem de produto ele quer produzir sua própria cepa livre de larica, suprimindo o apetite causado pela cannabis em áreas onde a cannabis é legal agora.

Nós certamente temos que aplaudir o seu espírito empreendedor, e sua capacidade de atacar em uma lacuna percebida no mercado, mas isso é algo que é realmente viável? Claro que o THCV por sua própria função pode ser capaz de suprimir o apetite, mas isto é, quando é isolado. Cannabis é uma planta extremamente complexa, e as centenas de compostos que estão contidas se interagem uns com os outros de maneiras diferentes. Enquanto o THCV pode suprimir o apetite, quando combinado com o bom THC pode ter efeitos completamente diferentes!

De qualquer forma, parece que o apetite suprimido na cannabis é um nicho na indústria que está prestes a decolar, se funciona ou não, não sabemos ainda.

Se você está interessado fazer um pouco de "investigação" sobre o assunto mesmo, do que olhar para as cepas com um alto teor de THCV. Cepas de cannabis que são conhecidas por, pelo menos, terem um conteúdo considerável de THCV são Blue Dream, Durban Poison, XJ-13, e Varin de Doug. Se elas têm o suficiente antes de serem criadas seletivamente para ter um conteúdo mais potente é um fato desconhecido para nós, mas poderia ser um bom lugar para começar!

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Entenda porque todas as drogas devem ser legalizadasproi

legalização das drogasA proibição das drogas tem sido um peso nos puxando para baixo ao longo de décadas, é hora de fazer uma mudança, pois proibir o uso de drogas é uma atitude completamente anti-evolutiva.

À medida em que a guerra contra as drogas continua a bater e queimar, governos, cientistas, e pessoas estão começando a mudar os paradigmas alternativos de pensamento. Uma tal estratégia que está ganhando popularidade é a noção da legalização completa das drogas - sim, sim, todas elas!

Por quê? Porque a liberação funciona muito melhor do que a proibição. Antes de zombar e julgar isso como um absurdo, vá para o raciocínio e as provas em primeiro lugar.

 A fundamentação
OK, então algumas das mentes mais inteligentes e informadas do mundo têm tomado um tempo para refletir sobre o problema do uso de drogas, e sempre voltam e colocar a legalização total como solução sobre a mesa.

Por quê? Bem, a total legalização tem algumas vantagens teóricas. Em primeiro lugar, se a história nos ensinou alguma coisa, essa coisa é que criminalizar um produto que está em alta demanda, não faz nada, além de claro, fortalecer a um mercado negro. Ramificações legais fazem muito pouco para dissuadir as pessoas nessas situações, e produzem um ambiente inseguro e não regulamentado, onde gangues criminosas e aproveitadores correm livremente.

Não há exemplo melhor disso do que a proibição dos EUA para o álcool, que durou de 1920 - 1933. A proibição não fez nada para reduzir o consumo de álcool, mas sim o aumento da população carcerária, diretamente causando um aumento dramático na atividade de gangues criminosas, e resultou em um aumento de absurdos 400% em mortes por intoxicação relacionados com o álcool, devido ao álcool de má qualidade que era produzido devido a falta de regulamentação em uma produção completamente legal e fiscalizada.

Há também o fato de que quando uma substância, como uma droga, é proibida, seus usuários são tratados como criminosos, em vez que, na verdade, aqueles em potencial precisam é de ajuda. Agora, dizer que todo usuário de drogas precisa de ajuda é igualmente errado; quem gosta de um pouco de uma boa maconha ou de psicodélicos em uma relação de uso esporádico é provável que gente desinformada os chame de viciados, como, francamente, eles podem não ser. No entanto, por talvez oferecer a um fumante de maconha um pouco de educação sobre os efeitos da maconha, e formas seguras para usá-la, em vez de distribuir tapas na sua cara com um registro criminal, é possível reduzir potencialmente o uso e incentivar práticas responsáveis do uso.

É claro, existem usuários de drogas que realmente precisam de ajuda, tais como os viciados em substâncias mais pesadas e que fazem sérios danos aos seus corpos. Nesta situação, em vez de serem tratados como criminosos, eles seriam tratados como pacientes com necessidade de cuidados médicos. Em qualquer caso, é imperativo que qualquer ampla regularização das drogas não seja convertida em um programa de tratamento obrigatório. Sim, alguns usuários de drogas têm problemas, mas, de longe, não todos.

Tratamento medicamentoso obrigatório, semelhante ao que Portugal tem implementado, perde o ponto: O uso de drogas também não é uma doença, mas um hábito.

Outro argumento para a legalização é o custo. Todos os anos, milhares de milhões de euros são gastos para impor a proibição e prender infratores da legislação antidrogas ultrapassada. Imagine o que poderia ser feito se esse dinheiro e tempo, fosse gasto com o serviço de saúde, educação, ou concentrando-se em crimes de natureza mais grave. Mas não só iria a legalização salvar esse dinheiro, como iria também gerar mais dinheiro na forma de regulamentos, e os empregos e impostos que são criados por eles.

Outra coisa a se considerar é que as detenções relacionadas com as drogas tendem a se concentrar em um segmento desproporcional da sociedade, ou seja, aqueles que são pobres ou de uma minoria étnica. Agora pensamentos iniciais podem ser, "bem, talvez eles só usem mais?", Mas de acordo com vários relatórios, incluindo esta da caridade política de drogas, esqueça, pois isso é incorreto. Mesmo se as pessoas usarem mais drogas, elas têm substancialmente menos chances de serem revistadas ou presas. A legalização das drogas faz com que esta questão redundante se acabe, pois colocaria todos em igualdade.

fonte:
http://www.release.org.uk/publications/numbers-black-and-white-ethnic-disparities-policing-and-prosecution-drug-offences

A EVIDÊNCIA
Uma das balizas brilhantes que mostram que a descriminalização e, potencialmente, a legalização, podem ser um benefício enorme para a humanidade é Portugal. Todos as drogas têm sido descriminalizadas em Portugal há mais de 10 anos, e não tem causado uma revolução no abuso de drogas e crime.

Concentrando-se em tratamento, educação e prevenção em vez de processar os usuários, a quantidade de mortes e doenças relacionadas com as drogas simplesmente despencou - tudo sem o aumento do uso geral de drogas que muitos temiam que descriminalização pudesse trazer. Não só isso, mas as pessoas não estão mais sendo colocadas na prisão por delitos menores, a criminalidade é baixa, e a atividade criminal relacionada com o tráfico de drogas não aumentou.

Mais informações sobre os efeitos da descriminalização podem ser vistas no recente relatório da Transform, uma instituição de caridade política de drogas baseada no Reino Unido.

fonte:
http://www.tdpf.org.uk/blog/drug-decriminalisation-portugal-setting-record-straight

É uma situação de dupla vitória. Não houve efeito negativo da descriminalização das drogas. As crianças não estão mais em risco, o crime não tem qualquer tendência de aumento, as drogas não se tornaram mais acessíveis, e os recursos estão sendo bem melhor utilizados.

Isto é ainda demonstrado por dois acontecimentos muito recentes, em que a Organização Mundial de Saúde pediu a descriminalização de todas as drogas, e os líderes mundiais proeminentes encomendaram um relatório que pedia o fim da guerra contra as drogas.

Outro bom exemplo de como a legalização poderia possivelmente alavancar o número de empregos é a recente legalização da maconha no Colorado. Agora é legal para adultos com mais de 21 anos que usem cannabis de uma forma totalmente legal, seja medicinal ou recreativa. Desde a mudança, a criminalidade tem reduzido muito, empregos foram criados, e as receitas fiscais em geral só tomam um rumo, para cima!

fonte:
http://rt.com/usa/163644-colorado-marijuana-crime-drop

Legalização vc Descriminalização

Então, por que escolher legalização ao invés da descriminalização? Portugal tem descriminalizado, e as coisas parecem estar indo bem. Bem, tudo se resume a crime. Sim, a descriminalização certamente ajuda a reduzir o dano aos usuários, e é certamente melhor do que a proibição, mas não resolve os problemas subjacentes de forma tão eficaz como a legalização.

Sob a descriminalização não ser mais um crime de possuir uma pequena quantidade de drogas, mas ainda pode resultar em drogas que estão sendo confiscadas e uma multa civil a ser emitida. Com a descriminalização apenas, a produção e venda de drogas continua sendo sendo, o porte não. Isso significa que não pode haver regulamentação, e sem regulamentação o aperto de gangues criminosas não pode ser quebrado, já que não há lugar seguro para obter as drogas, então as pessoas continuam comprando onde? Do mercado negro, é claro. Como resultado, a descriminalização simplesmente age como um band-aid, deixando-nos a lidar com os efeitos do uso de drogas melhores, sem realmente fazer as coisas mais seguras e resolver de fato os problemas gerais.

Através da legalização das drogas, podemos garantir que elas estejam sendo usadas com segurança, um golpe prejudicial ao crime, e gerando empregos e bilhões de euros para a economia.

Além de todos esses dados e motivos técnicos completamente claros sobre a legalização ser melhor do que a proibição das drogas, temos outras razões, as razões sociais e humanas, que nunca cansamos de bater nessa tecla aqui no Blog Planeta Maconha. Afinal, um sujeito adulto, pai de família, trabalhador e que viva de acordo com a lei, com seus pagamentos de impostos, que não são poucos no Brasil diga-se de passagem, e que trabalha o dia inteiro, e ao final deste dia gosta de sentar-se em sua poltrona e fumar um baseado, esse cara simplesmente tem todo o direito a isso! E quem vai dizer o contrário? Tenho certeza que muitas pessoas que fazem o mesmo, mas que ao invés do baseado gostam de um copo de cerveja ou vodca, vão se dizer contra, mas e se proibissem você de fazer o mesmo com seu copo de bebida alcoólica? O que seriam dos happy hours de sexta feira que muitas empresas promovem para dar aquela relaxada nos seus funcionários? Seria melhor que os happy hours disponibilizassem o que o sujeito gosta de relaxar, se é uma cerveja, que seja, se é um bom broto de maconha para se fumar, deixa o ser humano ser feliz!

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Top 10 fatos e mitos sobre a maconha

broto de maconhaA maconha é uma droga frequentemente muito mal compreendida. Há muita desinformação por aí sobre a droga, bem como uma série de suposições baseadas nesta mesma desinformação. Há uma certa abundância de "pesquisas" nem um pouco legitimadas.

Mas também felizmente há abundância de pesquisas de fontes 100% legítimas e que podem e devem combater a ignorância sobre o tema da maconha e como isso afeta o corpo humano. Aqui estão dez fatos fascinantes e mitos ignorantes sobre a maconha.

1. Fato: A maconha é uma das drogas mais usadas em todo o mundo. É apenas a segunda pois em primeiro vem o álcool. Milhões de pessoas usam a droga de uma forma diária, e ainda mais gente do que isso pelo menos uma vez na vida já provou a erva, deu uns tapas na pantera. Estima-se que só cerca de 6.000 norte-americanos provam maconha pela primeira vez todos os dias.

2. Mito: A teoria da porta de entrada. A teoria sobre a maconha ser uma espécie de porta de entrada, afirma que o uso de maconha conduz muitas vezes à utilização de outras drogas, muito mais pesadas. Não houve nenhuma evidência para apoiar esta teoria, pois nunca se comprovou de fato que uma pessoa que fumava maconha e passou a usar outras drogas, nunca teria feito o uso de quaisquer tipos de drogas anteriormente à maconha, como o álcool por exemplo, então essa teoria não tem simplesmente cabimento algum.

3. Mito: Muita gente acha que a maconha pode ser tão prejudicial para o seu corpo como o álcool é. Isso é um mito. As pessoas que consomem maconha são menos propensas a terem tecidos cerebrais danificados em comparação com aqueles que usam álcool. É também um mito de que fumar grandes quantidades de maconha vai levar ao câncer de pulmão, como estudos sobre o tema mostraram resultados que não apoiam esta afirmação.

4. Fato: A maconha tem muitos fins medicinais úteis. As pessoas que têm câncer, AIDS, glaucoma e doenças neurológicas podem se beneficiar com o uso de maconha por motivos diversos. Algumas dessas razões incluem a sua capacidade de estimular o apetite, reduzir a náusea, e aliviar os nervos, além de ser um tratamento único para qualquer tipo de dor corporal.

5. Mito: A maconha é uma droga perigosa. A maconha é provavelmente a droga menos perigosa de todas mundo. Quando comparada com as drogas legais, como o álcool e o tabaco, na verdade é muito segura. Considere o fato de que nunca houve sequer uma overdose de maconha na história. Não há realmente nenhuma maneira possível de se morrer por de maconha, pois para isso estimasse que seria preciso fumar cerca de 800 baseados para morrer; e, mesmo assim, não seria por causa da maconha em si, mas seria de envenenamento por monóxido de carbono, da fumaça.

6. Mito: A maioria dos fumantes de maconha são usuários pesados. O fato é que uma boa parte das pessoas que já fumou maconha (40% a 50%) quer fazê-lo com moderação, ou apenas ter fumado maconha no passado e deixar para trás. Um monte de pessoas não faz um hábito fumar maconha, mas isso nos leva ao nosso próximo fato ...

7. Fato: A maconha tem alguns efeitos adversos. Uma delas é que é possível tornar dependente da droga. O percentual de pessoas que se tornam dependentes dela é muito pequeno, e a maioria destes casos ocorre dentro de um pequeno grupo de usuários pesados. Outros efeitos adversos são de que a maconha tem um efeito negativo sobre a capacidade dos usuários para dirigir, e as mulheres que fumam maconha durante a gravidez têm maiores chances de ter bebês que nascem com defeitos congênitos.

8. Fato: Utilizar a planta do cânhamo mais do que apenas a maconha resinosa pode ser muito benéfico para o meio ambiente, bem como para as pessoas. Cânhamo faz um papel realmente incrível além de cordas e outros materiais. Também é ótimo para uso em roupas, materiais de construção, sabonetes, fraldas, combustível, e muitas outras coisas que as pessoas usam muito frequentemente. É muito mais do que os nossos recursos renováveis atuais que nós usamos para fazer esses e outros itens. As sementes podem até mesmo ser usadas para alimentação! Cultivo de cânhamo iria produzir empregos, ajudar a aliviar a fome no mundo, proporcionar alívio da dor, e até mesmo ajudar a cortar gases de efeito estufa.

9. Fato: Mais de 800.000 pessoas são presas a cada ano por crimes relativos a maconha. Pouco mais da metade de todas as prisões por drogas nos Estados Unidos são devido a maconha. Algumas dessas prisões até mesmo levam à prisão, que desnecessariamente descamba para o sistema prisional.

10. Fato: Um estudo feito pela CBS News concluiu que quase metade dos americanos agora apoiam a legalização da maconha. Muitos estados nos Estados Unidos são considerados estados com maconha medicinal. Estes estados permitem que a maconha seja usada com uma receita dada por médicos. Existem também vários estados que já legalizaram também a venda e o consumo de maconha recreativa ou estão trabalhando nisso. Estima-se que muitos estados em breve seguirão o exemplo.

Os Estados Unidos, que são a pátria mãe da proibição da maconha no mundo, é justamente quem está saindo na frente quando o assunto é comércio da maconha. Está acontecendo no país norte-americano a chamada Green Rush, a corrida verde, de centenas e milhares de pessoas correndo para investir nesse novo mercado, que é realmente muito promissor.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Cartéis mexicanos estão vendendo outras drogas por causa da legalização da maconha

poder do tráfico
Desde a legalização da cannabis em várias partes dos Estados Unidos, já vimos um efeito significativo sobre os cartéis mexicanos, pois continuam a perder dinheiro com a cannabis, que costumava ser uma das principais fontes de rendimento dos cartéis de drogas. A cannabis que costumava fluir diretamente através do circuito de cartel estagnou e o preço caiu.

As ervas agora cultivadas nos EUA são  potentes, possuem diversas variedades de cannabis testadas em laboratório e estão substituindo as cepas colhidas pela bushel de Sierra Madre, cordilheira do México. Como resultado, os agricultores do cartel estão cultivando as papoulas como sua nova fonte de dinheiro, produzindo a pegajosa heroína black "tar" como uma alternativa barata para os perigosamente dependentes de opiáceos nos Estados Unidos. A metanfetamina também tem tido um ressurgimento, com uma estimativa de 90% da metanfetamina que está nos EUA estar sendo criada no México, de acordo com dados da Agência de Combate às Drogas dos EUA.

Os cartéis e os consumidores estão se afastando da "maconha prensada", assim chamada por conta dos fardos duros embalados que durante anos foram consistentemente amarrados a mulas de drogas humanas e na parte de trás de caminhões comerciais com destino à fronteira. Assim, um outro motivo para a metanfetamina e a heroína serem as drogas de escolha para os cartéis nos dias de hoje é porque elas são mais fáceis de transportar e esconder em cavidades do corpo, pneus de caminhão, e até mesmo falsos compartimentos no bloco do motor ou tanque de combustível. Os cartéis começaram a fazer a pulverização de resina de maconha nos veículos de transporte para atrair a atenção dos cães farejadores e dos agentes de fronteira, como uma forma de distração, enquanto na verdade estão transportando drogas muito mais nocivas e perigosas através da fronteira.

Meth (metanfetamina) e heroína são incrivelmente viciantes e criam um novo problema para a aplicação da lei, além de afetar já a situação de risco dos americanos. No entanto, se os estados de fronteira, como Arizona forem partir para a legalização da cannabis, agentes da patrulha de fronteira teriam uma preocupação a menos e mais tempo, energia e recursos para se dedicar
à questão mais ampla da metanfetamina ilegal e o contrabando de heroína.

Muitos com idéias proibicionistas sempre diziam que legalizar a maconha não enfraqueceria em nada o tráfico de drogas no mundo, inclusive no Brasil. Nós aqui sempre defendemos a ideia de que mudaria e muito, pois a maconha é a droga ilícita mais amplamente consumida em todo o globo terrestre, e portanto é a droga que mais é vendida no mercado negro. Legalizando-a, se tira o poder de venda sobre essa droga de mãos erradas, e coloca esses recursos em mãos responsáveis que devem arcar com impostos e obrigações legais e fiscais para realizar o comércio. A prova disso são os grandes carteis mexicanos, sempre conhecidos pela venda de maconha nos Estados Unidos, e que viram na legalização em alguns estados o seu brusco enfraquecimento, o que lhes forçou a procurar vender outras drogas a fim de manter os rendimentos de antes. Agora eu pergunto: E se todas as drogas fossem legalizadas? O que seria dos carteis de narco-tráfico?