terça-feira, 23 de agosto de 2011

Números revelam preconceito racial em prisões feitas por porte de Maconha em NY

A cidade de Nova Iorque tem o maior índice de prisões por porte de Maconha dos Estados Unidos. Números levantados pelo “The New York Civil Liberties Union”, apontam mais de 350.000 prisões efetuadas desde 2002.

Além do número de prisões exacerbadas, percebe-se que a descriminação racial também é um fator que preocupa: das pessoas presas em Nova Iorque, 90% são negros ou latinos.

Para tentar quebrar este paradigma, na semana passada, membros do Conselho Municipal fizeram um protesto na Câmara Municipal para chamar a atenção para este problema racial.

Como lembra bem o New YorkTimes, a posse de menos de 25 g de maconha é uma violação civil, porém a sua exibição em público torna-se um crime, mesmo em casos em que a pessoa é revistada por um policial e este encontra Maconha no bolso do indivíduo.

Membros do conselho esperam fechar esta falha da legislação, para que a exibição pública de pequenas quantidades de Maconha seja reclassificada apenas como uma violação e não um crime.

Números levantados pelo New York Times apontam que pessoas que residem em bairros de baixa renda e predominantemente de negros- como o Brooklyn e Brownsville, tinham 150 vezes mais chances de ser preso sob a acusação de porte de maconha do que residentes em bairros predominantemente brancos e de alto poder aquisitivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário