domingo, 23 de outubro de 2011

A farsa do governo Obama contra os dispensários de Maconha

Os Estados Unidos sempre foi um país que baseou a sua economia na produção de armamento bélico. Pegando pela a história, percebe-se que o país precisa de guerra para alavancar a sua economia, seja suas próprias guerras ou guerras dos outros, para que eles vendam armas e mais armas. Porém, este paradigma vem mudando mundialmente, uma vez que as nações começaram a perceber que se levam muitos anos para recupera-se de um trauma tão grande.

Neste momento de nova crise mundial, no qual novamente os EUA se encontram em um estado de depressão econômica, Obama se vê em um dos seus piores momento à frente do país. Acuado, e com o nível de aprovação do seu governo baixíssimo, o líder norteamericano de alguma forma teria que mostrar a sua força e tentar recuperar o seu prestígio e parece que isto veio em forma de ataques aos dispensários de Maconha.

Tentando ganhar a popularidade em nome da ética e dos bons costumes, Barack Obama resolveu adotar a tática de agradar os conservadores. Em pouco menos de 1 mês se instaurou um verdadeiro caos em cima dos dispensários de Maconha, sob alegação que estes mesmos dispensário estavam extrapolando a sua ordem de comércio e vendendo para outras pessoas que não seja aquelas devidamente cadastradas e que fazem terapia com a Cannabis.

Por sorte, apesar dos avisos vindo de órgãos federais, quanto ao funcionamento destas farmácias, os americanos pró legalização ainda tem o alento do Estado ter uma certa autonomia perante a federação. Mesmo que um ou outro dispensário seja fechado pelos homens de Obama, ainda sim isto me parece apenas uma tática política, para tentar –como já dito- recuperar o prestígio perdido ao longo do seu governo.

Está evidente que a jogada de Obama deve não dar certo, ainda mais que os proprietários de dispensários de Maconha já se reuniram para reclamar seus direitos. As decisões do presidente norteamericano soam mais como arbitrárias e vem na contramão da mudança de pensamento da população dos Estados Unidos, uma vez que o instituto Gallup revelou que metade (50%) dos americanos são à favor da liberação do tratamento medicinal da Maconha, contra apenas 46% que não aprovaram a ideia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário