sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Dados mostram mais uma vez o prejuízo gerado pelos ataques aos Dispensários de Maconha

Há alguns posts atrás falamos do prejuízo que alguns estados estão tendo, depois que o governo Barack Obama declarou guerra aos dispensários de Maconha Medicinal, gerando um déficit nos impostos recolhidos, além de muito desemprego. Dados atualizados mostram que que 2.500 pessoas em todo o estado perderam seus empregos desde setembro, quando começou toda esta repressão contra os dispensários de maconha.

Até o momento três dispensários da cidade de São Francisco foram fechadas desde que começou a receber cartas ameaçadoras que se referia ao comércio como irregular, já que comercializava uma substância que é regulada pelo governo federal. Com isso, as perdas já são bem visíveis para a população e para o próprio governo, que de uma hora para outra deixou de arrecadar mais capital, que poderiam perfeitamente ser revertidos em serviços em prol das necessidades coletivas da sociedade.

A psicose do governo federal é tão grande quando se fala em Maconha, que mesmo os dispensários que ainda continuam aberto acabam por passar por muitas dificuldades para continuar as suas atividades. O dispensário Medithrive, por exemplo, gastou mais de 209 mil dólares apenas para fazer publicidade, além de mais de 64 mil em impostos sobre salários de seu funcionário e como se não bastasse, ainda teve que quitar mais de 4 mil dólares em licenças de funcionamento que são cobrados pelo município.

Como se já não bastasse, na tentativa de continuar a realizar a suas atividades, os dispensários acabam por cortar primeiro uma boa parte da verba de publicidade, o que logicamente influência diretamente na economia local e em outros ramos da economia, já que a perda de capital arrecadada é imediata.

Para se ter uma ideia, 10% da receitas de jornais que circulam em São Francisco, como O São Francisco Bay Guardian, são advindos de publicidades dos dispensários de Maconha Medicinal. Segundo o diretor executivo do jornal, Tim Remond, o dinheiro que vem da venda de publicidade para os dispensários de Maconha é de extrema importância para a manutenção das atividades do veículo de comunicação, já que a tarefa de arrumar anúncios para o semanário, vem a cada dia ficando mais difícil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário