segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Maconha: Sustentabilidade e economia

É praticamente impossível fazer um breve discurso sobre a maconha, pois inevitavelmente esbarraremos em questões como: política, problemas sociais, medicina, sustentabilidade, economia, religião, liberdade, trafico de drogas, milícias, globalização e etc., mas vou tentar resumir.

Após São Paulo presenciar cenas de guerra em plena Avenida Paulista, o tema que já estava em evidência há muitos anos, literalmente explodiu, chamando a atenção de toda a sociedade para a regulamentação da maconha.

De lá pra cá, muito se ouviu falar de usos medicinais, liberdade individual, exemplo de países de primeiro mundo que regulamentaram o consumo da maconha e trafico de drogas, mas poucos se lembraram do impacto econômico que a regulamentação do uso industrial da maconha pode causar ao Brasil.

Das plantas da espécie Cannabis pode ser extraído uma fibra natural, chamada Cânhamo.

Antes de citar os possíveis usos industriais deste magnifico material, é importante conhecer sua história para saber da sua importância histórica.

Há cerca de 12mil anos, o cânhamo era usado como matéria prima para produzir cordame e pano, na China. Por volta do ano de 1850, praticamente todos os navios tinham suas velas e cordas feitas de Cânhamo, que era indispensável nas embarcações. Inclusive, o cabo que segurava âncora, era feito de Cânhamo.

Na época precursora das carroças, o Cânhamo era utilizado para produzir a lona que cobria as escunas de savana. A escritura de independência dos Estados Unidos da América foi escrito em papel de Cânhamo.

A maconha, seja industrial, medicinal ou recreativa, está enraizada na história da humanidade por ser um produto sustentável, barato e com mais 25mil utilidades. Porém, vem sido ignorada pelo governo, que parece não se importar com o desmatamento, alto custo de produção de materiais que poderiam ser substituídos pelo Cânhamo, qualidade dos produtos vendidos no país, e etc.

SUSTENTABILIDADE

Em menos um século o crescimento da população e da urbanização fez com que nossas florestas e áreas verdes fossem praticamente extintas, caso da Mata Atlântica. Em poucas décadas, veremos a Amazônia passar pelo mesmo problema, já que o desmatamento ilegal e a incessante busca por matéria prima para abastecer a demanda de uma sociedade consumista e, em sua maioria, irresponsável, está fazendo com que o ‘’pulmão do mundo ‘’ seja destruído.

O Cânhamo é uma alternativa sustentável e barata para esse grande problema.

Como exemplo, a produção de papel hoje é feita através de eucaliptos, se fosse de Cânhamo teríamos o quadruplo da produção em um mesmo espaço.

Através do Cânhamo, é possível produzir um material semelhante á fibra de carbono, porém mais leve, o que reduziria o peso dos carros, proporcionando menor esforço do motor e, consequentemente, menor gasto de combustível fóssil.

O Cânhamo também pode produzir biocombustíveis, menos poluentes e muito mais baratos, pois sua queima não produz resíduos , é renovável e não contribui na formação de chuva ácida. Além disso, o Cânhamo pode ser usado na produção de cosméticos e afins.

Uma das principais utilidades do cânhamo é para a indústria têxtil, por exemplo, uma camiseta feita de cânhamo é mais resistente que uma feita de algodão, pode se fazer lonas, cordas, jeans, panos e uma infinidade de outros produtos.

Fechar os olhos para um produto tão útil é, também, fechar os olhos pra o desenvolvimento sustentável.

Texto escrito pelos Missionários da Erva

Nenhum comentário:

Postar um comentário