quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Proprietários de loja de maconha são condenados por posse de maconha para venda

Os proprietários de uma loja chamada Centro de Cura, no qual vendiam maconha medicinal para pacientes, foram considerados culpados por posse de maconha para venda, no condado de Santa Barbára, nos EUA.

Em sua decisão, o juiz da Corte Superior Frank Ochoa declarou que é ilegal vender maconha. O tribunal afirmou que não há validade para "maconha medicinal", na defesa a acusação por posse de maconha para a venda, e rejeitou a alegação de réus Juan Solis, Sintia Martinez e José Lopez, que seus clientes eram membros de sua cooperativa. A decisão deixou claro que os indivíduos podem sim, legalmente, cultivar, e usar, sua própria maconha medicamente aprovada , e que é legal para que os indivíduos possam se unir para coletivamente cultivar sua maconha através de cooperativas, contudo, não se pode vender.

O caso teve origem a partir de prisões feitas em 2010 após uma investigação por detetives de narcóticos do Departamento de Polícia de Santa Bárbara. Os donos da loja de maconha, que estava operando em um edifício comercial,foram presos por atividades de vendas de maconha em 17 de fevereiro daquele ano. Nesse ponto, o negócio foi fechado, mas os proprietários reabriram-lo pouco tempo depois.

Eles foram presos novamente em 23 junho de 2010 e uma terceira vez em 26 de outubro de 2010, ambas as vezes, com acusação de posse de maconha para a venda.

Os réus todos depois de um tempo de reclusão e foram, então, colocados em liberdade condicional, contudo, proibidos de estarem envolvidos com qualquer coisa relacionada Pa maconha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário