quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Por que a PM invade Igreja Rastafari, mas não liga para cultos do Daime?


Na constituição brasileira, que não costuma sem cumprida pelas autoridades, está escrito que todo o cidadão brasileiro tem direito a ter liberdade religiosa e de crenças, para que ele possa exercer tais praticas sem que seja incomodado por terceiros. Contudo, o que se vê atualmente não é bem isso. Na semana passada, por exemplo, novamente a polícia invadiu a Igreja do irmão Geraldinho Rastafari, levando suas oferendas e desrespeitando todo aquele local que cultua as tradições Rastafari. Ontem, foi a vez de um homem de 68 anos, morador do município de Jequiriça, Bahia, ser preso pela polícia e indiciado por tráfico de drogas, isto, porque o homem que se diz curandeiro, cultivava em casa 4 pés de maconha, para fins terapêuticos, já que o idoso confirmou que tomava chá advindo da maconha.

Segundo informações da Polícia Militar, a droga - quatro pés de maconha, três deles medindo de 50 cm a 1 m de altura - foi apreendida durante uma abordagem de rotina. 
Sem documentos, o homem dizia não se lembrar do nome completo e teve a identidade revelada pela irmã, que se apresentou na segunda-feira, (26), na delegacia local.

Borges foi preso em flagrante e autuado por tráfico de drogas. Será submetido a exames de identificação criminal e ficará á disposição da Justiça. A droga foi encaminhada para perícia, que é um procedimento padrão, segundo a Polícia Militar do Estado.

O que mais me intriga nestas situações, é a verdadeira perseguição do Estado contra os Rastafaris e os adoradores da Maconha. Afinal, o rastafarianismo não é a única seita que se utiliza de algo alucinógeno para manter viva as suas tradições e suas crenças. Exemplo claro disso são as inúmeras Igrejas que cultuam o Daime. Eu fico me perguntando, por que o Daime não é perseguido? Será porque faz parte de uma seita de elite, que engloba artistas globais e pessoas da alta sociedade, que sequer tem o caráter de dizer que gostam sim de alterar a sua consciência?

A verdade é que tudo não passa de uma hipocrisia, pois eu, como já tive a oportunidade de experimentar 
os dois, digo fielmente que não existe maconha no mundo que chegue aos pés do poder alucinógeno da Ayauhasca. Aliás, não vi apenas pessoas sob efeito alucinógeno do Daime, mas sim pessoas com diarreias fortíssimas e verdadeiras crises neuróticas. Mas, como se trata de uma coisa de elite, o país racista e hipócrita, como o Brasil, é preferível atacar as classes pobres, para mostrar serviço. Como sempre, né Brasil?

Um comentário:

  1. pow o foda é que existe uma lei federal de 2006 que não crime porta para consumo...ta na lei anti drogas pode pesquisar no site do ministerio da justiça...

    ResponderExcluir