quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Você sabe como as redes sociais ajudam no ativismo canábico?

Se formos analisar a historia do mundo e de nós habitantes, vamos com toda certeza ver que vivemos em constantes transformações, acentuadas na passagem do século XX para o XXI, com o desenvolvimento da internet e a criação do ciberespaço, advindas das chamadas revoluções tecnológicas informacional, que está a todo momento  reconfigurando o conjunto das sociedades humanas em todos os seus aspectos,  implodindo barreiras de tempo e espaço, priorizando o  imediatismo e colocando a informação como elemento central das articulações para desenvolver as atividades humanas.

A revolução das tecnologias influencia no método atual de vivermos em sociedade, nos tornando mais individualistas, assim participando de uma forma negativa para contribuir com um maior nível de desigualdade entre classes e grupos, aumentando também a violência, e porque não crises econômicas. Contudo, as chamadas novas tecnologias infinitamente trouxe mais vantagens para a sociedade em si, principalmente pelo o valor do imediatismo e do fluxo de informação que aumentou vertiginosamente.

Você pode estar se perguntando, o que isso tem a ver com maconha e o ativismo? Pois bem, tem muita coisa a ver, porque se formos analisar a questão com um cunho histórico, veremos que a partir do momento em que a humanidade começa a explorar o ciberespaço, percebe-se uma intensa mudança no que chamamos de produção de conteúdo. Com a criação do ciberespaço, o conteúdo produzido até então apenas por jornalistas e pessoas que trabalham diretamente com a Comunicação Social, começou a ser feito também pelos simples usuários da internet. Criou-se um novo conceito no qual o leitor deixou aquela figura passiva, para também se tornar ativa, recebendo e produzindo informação em tempo real, que são distribuídas a todo momento pelas conexões virtuais do ciberespaço.

Com esta nova perspectiva, o próximo passo foi o fortalecimento das mídias independentes e o maior aprofundamento do conceito de interatividade, que deu ainda mais voz para quem utilizava a rede. Neste instante, é que há um “boom” no que conhecemos como blogs, flogs e posteriormente as redes sociais, como twitter, Orkut, facebook, entre outros.

A criação e o fortalecimento das redes sociais fez com que estas se tornassem uma grande aliada para algumas parcelas da sociedade, como é o caso dos usuários de maconha. Primeiramente, os blogs permitiram que o movimento canábico crescesse absurdamente, fazendo deles uma forma de  buscar informações sobre a maconha, totalmente fora daquele olhar conservador e pragmático que estamos acostumados a ver nos veículos de comunicação tradicionais. O facebook, Orkut, e outros cumprem o papel de grandes conectores, que servem como vias que fazem com que se estabeleça contato entre ativistas do norte a sul deste grande país chamado Brasil!

Como podemos perceber, a influência das novas tecnologias impulsiona o mundo na várias transformações que estamos sofrendo e como não poderia deixar de ser, também em prol da legalização da maconha. Porque não em tempos modernos, onde a informação é o principal aliado, começarmos a tratar o assunto com mais bases científicas e menos no senso comum? 

Um comentário:

  1. O fluxo de informação que a internet proporciona nos tira da escuridão da informação!
    Temos por meio da internet milhões de pessoas que contribuem com seus comentários aumentando assim nosso conhecimentos sobre diversas áreas!
    VIVA A INTERNET E OS IDEALIZADORES DE BLOGS INTERESSANTES COMO ESSES!

    ResponderExcluir