quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Por uma Internet à favor da Maconha

Antigamente , dependíamos dos grandes veículos de comunicação para obtermos informações do que se passava pelo mundo. Com os interesses econômicos normalmente à frente dos interesses da população, os grupos midiáticos de fato acabaram por fazer o papel de formador de opinião de muitos setores da sociedade, mesmo que alienantes.

Os veículos de comunicação tradicionais, em relação à maconha, sempre tiveram uma postura conservadora. Dificilmente no Brasil se fala sobre Maconha na tv aberta e quando falam, normalmente o debate fica agarrado em um pragmatismo e uma burocracia, que apenas faz aumentar a ignorância dos que não sabem sobre o assunto.

Ainda bem, que em tempos modernos, com a chegada da internet, as diretrizes do que diz respeito à grade de programação, assuntos debatidos e o interesse do público, começou  a mudar. As pessoas se tornaram de certa forma reféns do imediatismo, o que de fato colaborou para aguçar uma mudança comportamental na maneira de consumir a informação.

Aquela antiga grade fixa de programação, hoje com a internet, já pode ser mudada  a qualquer momento. Atualmente, você escolhe o que quer assistir. Com toda esta evolução, a maconha não ficou para trás e também ganhou força. Movimentos de ativistas e simpatizantes pela legalização da Cannabis,se tornou mais intensos e ativos, já que a internet proporcionou uma rede cibernética, de transferências de arquivos, em uma velocidade bastante considerável.

As reuniões e divulgações só aumentaram, assim também como se expandiu as mídias independentes. Tanto isso é verdade, que se você for procurar sobre maconha - um tema tão controverso- as informações mais fidedignas estarão em mídias chamadas de independentes, como o Blog Maconha da Lata, o Planeta Maconha, e tantos outros que disseminam a mensagem da legalização da maconha.

A internet supriu as necessidades de ter que ir pessoalmente para demonstrar pequenas ou grandes ideias, facilitando a informação e o conhecimento, fazendo com que assim, mais pessoas se sentissem a vontade para colaborar com a causa, afinal não é preciso ser maconheiro para enxergar o quão é ridículo a repressão. Portanto, façamos desta ferramenta prospera, para mostrar cada vez mais, como a repressão só beneficia a quem está  do lado do sistema corrupto.

Um comentário: