quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Proibição das drogas: uma arma econômica para a corrupção


Quando se fala na política adotada pelo mundo sobre as drogas, você logo já observa que a saúde do cidadão nunca teve nada a ver com isso, já que os países normalmente fazem uma legislação no qual proíbe a maconha, cocaína, lsd, entre outras, mas legaliza as drogas da industria farmacêutica, ou as drogas que o Estado tem interesse para que ele possa lucrar com isso.

A proibição das drogas sempre foi um negócio. Um comércio que gera bilhões de dólares a todo ano e que sustenta uma rede de corrupções. O exemplo maior de que o Estado seleciona a droga que quer vender pode ser vista no álcool, que é a droga ocidental que causou maiores desastres na América, no qual comunidades locais foram completamente destruídas por esta“água ardente“. Muitos tornaram-se viciados, continuando a beber o dia todo, mas as autoridades nunca decidiram controlar ou coibir essa substância. Há um século e meio, as guerras do ópio foram travadas para obrigar os chineses a consumir o ópio das colônias britânicas, na Índia.

Atualmente, as drogas são proibidas  pelo seu valor econômico, fazendo com que se limite a oferta e assim o preço possa ficar nas alturas. E o pior, é que os cartéis do narcotráfico sabem muito bem tirar proveito, tanto, que o tráfico de drogas é o maior mina de financiamento das organizações criminosas.

Podemos tirar de exemplo também, à recente briga boliviana para descriminalizar a folhas de coca. A tentativa gerou um burburinho nas empresas ocidentais. Contudo, fica a pergunta, porque a folha de coca é perseguida, mas as fabricas que se utilizam dela como matéria prima não são? Simplesmente, porque os derivados da folha de coca valem muito dinheiro no mercado legal.

O ataque à folha de coca é um ato de racismo e desrespeito às tradições culturais dos países andinos, crenças e religião. Os países ocidentais só entenderiam isso se vissem o seu vinho, as vinhas, ou campos de tabaco sendo fumigados por países estrangeiros e assim, destruindo toda as plantações que se existe por perto!

Nenhum comentário:

Postar um comentário