segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Você sabe quanto os países poderiam lucrar, caso o mercado canábico fosse legalizado?

Muito se diz em sobre a maconha. A planta conhecida pelo homem desde 5 mil anos ainda no mundo moderno continua a protagonizar uma dos assuntos mais polêmicos de toda a história da humanidade. Indiscutivelmente a relação entre substância entorpecente e sociedade sempre foi um caso que intrigou a todos, principalmente pelo medo em que as pessoas tem em relação a este tipo de assunto.

Com a proibição da maconha, por exemplo, o que se viu foi a abertura de um mercado bilionário, que ficou negligenciado pelos governos e que traficantes e cartéis do narcotráfico controlam há anos. Como já dizia bem Friedman, um dos economistas mais famosos do mundo, que defendia a legalização das drogas, pois segundo ele, está e justamente a raiz da corrupção policial e a principal causa do derramamento de sangue que acontece na repressão.

Para se ter uma ideia, só os Estados Unidos, o país mais proibicionista do mundo e que passou todo este conceito errôneo de tratar a maconha, conseguiriam arrecadar até 10 bilhões de dólares por ano. Aqui no Brasil, estima-se que a economia arrecadada em impostos chegaria a 7 bilhões de reais por ano, enquanto na França, o valor arrecadado seria de 2,5 bilhões de dólares. Na Califórnia, estado onde apoia com veemência a maconha medicinal, o número arrecadado chega a 1,5 bilhão de dólares.

Além de arrecadação de impostos com uma política de redução de danos, com toda certeza os países diminuiriam drasticamente o gasto com o aumento vertiginoso de pessoas presas por posse de maconha e delitos não violentos, além de ajudar a desinchar o sistema judiciário de alguns países, como o Brasil, que já tem este sistema bem inflacionado.

Outro ponto interessante a ser observado é que trazendo este mercado para a legalidade, com toda certeza seria mais um setor que iria gerar mais empregos ( estima-se que o mercado canábico iria gerar cerca de 100.000 empregos diretos e 60.000 empregos indiretos), além de afetar positivamente o PIB do país e de quebra tirar uma importante fonte de renda das mãos do narcotráfico, que é a maconha.  Os governos proibicionistas tem a a faca e o queijo na mão para mudar essa realidade sangrenta da guerra contra as drogas. Será que não  já é hora de pensarmos de uma outra maneira, a não ser a repressão?

Um comentário:

  1. Muito boa a matéria e claro com total fundamento. Já esta mais do que na hora de mudar todo este conceito proibicionista, antigo e que so facilita o crime, temos que dar um basta nisto. Me impreciona ver como as coisas são absurdamente tratadas no que tange esta matéria e como tem gente que ainda acha que proibir e reprimir é solução, quando na verdade só piora a cituação. Claro que interesses escusos estão por tras disso, mais eu não tenho nada haver com interesse de ninguém, só quero que respeitem os meus interesses e o meu é de poder somente fumar meu beck na paz porra.

    ResponderExcluir