quinta-feira, 1 de março de 2012

O Rio de Janeiro está sob ameaça! (Por Erik Torquato)

Um leão adormecido se esconde na mata atlântica da região, estudos demonstram que a temida fera está prestes a ressurgir. [...]

Talvez se uma dessas matérias sensacionalistas fossem publicadas logo ganhariam as capas de jornais, no entanto, o grande leão é o caos que estar por vir, o transporte público da Cidade do Rio de Janeiro está gerando um transtorno que atinge de maneira vital as bases de equilíbrio da opinião pública.
Analisando o contexto social, político-cultural do povo carioca, percebesse que das variadas revoltas populares, grande maioria diziam respeito aos anseios dos mais castigados pelo contexto social vigente.

Nos últimos tempos o Governo reeleito do Estado do Rio de Janeiro vem sofrendo um grande desgaste no que tange à harmonia administrativa, haja vista as inúmeras insurreições populares e até mesmo institucionais, sempre reivindicando uma melhoria de fato na situação específica. Seja greve de professores, ocupações de quartéis, e marchas por liberdades; no entanto, recentemente o rio sofreu uma onda de aumentos de preços de passagens de transporte de forma indiscriminada.



Seguindo a lógica das revoltas bem como a correlação entre os interessados, é de se concluir que breve teremos uma revolta generalizada dos revoltosos com o transporte público. Que por sinal, engloba os professores, os estudantes, os gays, os PM’s, os Bombeiros, as mães de família, os trabalhadores de modo geral.

O governo, no entanto, não está dormindo, sabe que o leão pode acordar, e pra isso, usa um poderoso sonífero. Chamado carinhosamente de Grã Mestre, que a qualquer insurgência significativamente relevante para o despertar do leão é usado com a força do seu martelo de ferro.
A sátira claro, refere-se a relação entre os poderes da Administração com o Judiciário, pois, a cada dia que passa mais e mais decisões atendem de maneira irritante os interesses próprios dos administradores e não da Administração!

A última foi a revoltante decisão que liminarmente concedeu um interdito proibitório a um Professor da Rede Estadual de Ensino, o impedindo de se manifestar contra o aumento dos preços das passagens das Barcas S.A no ato programado para o dia 1º de março.
Não perdendo tempo fazendo o gráfico da rentabilidade do trabalhador nos últimos 7 anos, quer seja a realidade de todos, no entanto, algo que destoa da realidade de toda a grande massa merece ser explanada.
Trata-se da estimativa de faturamento da concessionária Barcas Sociedade Anônima, algo que com certeza está fora do alcance da imaginação de meros mortais.

Segundo pesquisas, estimada nos números fornecidos pela Secretaria Estadual de Transporte e a própria Barcas AS, o faturamento nos últimos sete anos quadruplicou, no entanto, o número de usuários teria apenas dobrado.
Em sete anos o preço das passagens significaram uma variação de R$ 30 milhões para R$ 130 milhões, quando na verdade a estimativa de usuários é maior que os 79 mil usuários por ano levados em conta para a análise.

O que permite dizer que, o salário do usuário se quer teve um aumento de 50%, porém, os seus gastos com transporte aumentaram 400%, é simplesmente dizer que o trabalhador recebe para se locomover para o trabalho!
Mas apesar de tudo isso, o Estado continua se preparando para receber os grandes eventos esportivos, e nada, nada, ninguém; pode atrapalhar o lucro advindo das grandes negociatas envolvidas. E o transporte, setor vital para a população, e também, vital para o sucesso do grande plano de lucro se convergem para o mesmo objeto, o lucro com o transporte.

Com isso, os preços estão se elevando para que renda ao máximo quando da realização desses grandes eventos. Nada está sendo feito para a população, mas sim, tudo visando atender os grandes lucros.
Um projeto de lei tramita no senado, lei da Copa, um governo tripudia de seus eleitores, uma justiça adormecida, essas são a essência de todo o caos que em breve será instalado na realidade carioca.

A oposição está atenta, os setores populares estão se conectando, o fim do império pode está tendo seus prenúncios. No entanto, surpreendente será uma reviravolta. No jogo do poder o povo tem que aprender a se posicionar, podemos conviver com esses mafiosos, porém, temos que aprender a jogar.
O povo precisa olhar pra eles, os poderosos, como eles os olham, com olhar ganancioso, explorador e sagaz. O dia que o grande público desse imenso zoológico aprender que podem acordar o bicho que quiser, o Brasil enfim será um pais desenvolvido!

Erik Torquato é acadêmico em Direto pela UERJ.

FONTE: http://www.planetamaconha.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário