terça-feira, 3 de abril de 2012

Agentes federais invadiram ontem a faculdade de Oaksterdam


Agentes federais dos EUA ocuparam na segunda-feira uma faculdade da Califórnia que ensinava a cultivar maconha, como parte da repressão governamental ao uso médico da Maconha. A chamada faculdade de Oaksterdam , localizada Oakland, foi um dos locais não-especificados no qual foi cumprido uma ordem de busca e apreensão.

Além de agentes do DEA, participaram da operação também fiscais da IRS (Receita Federal dos EUA) e oficiais de Justiça.

Joycelyn Barnes, agente especial do DEA, não quis comentar os motivos ou detalhes da operação, e disse que não há previsão de que prisões sejam feitas.
"Isso é apenas parte de três agências combinando recursos para investigar a criminalidade que envolve a maconha", disse ela à Reuters.

No mês passado, o jornal Sacramento Bee informou que a procura de alunos pela faculdade diminuiu fortemente desde que o governo federal começou a fiscalizar com mais vigor os estabelecimentos que vendem maconha sob prescrição médica e as instalações de cultivo.

A Califórnia e outros Estados dos EUA autorizam o consumo de maconha para fins médicos, mas nos últimos meses o governo federal tem fechado estabelecimentos que usavam a questão medicinal como fachada para o narcotráfico.

A Oaksterdam, que oferece cursos de cultivo de maconha e carreiras relacionadas, tem aulas nas manhãs de quarta-feira e em um fim de semana por mês.

Salwa Ibrahim, assistente de Richard Lee, fundador da instituição, disse que o paradeiro dele é desconhecido, e não quis comentar a ação policial. "Uma coisa meio chata", limitou-se a dizer.

A entrada da faculdade ficou bloqueada com fitas pretas e amarelas, e do lado de fora dezenas de pessoas seguravam cartazes protestando contra a interferência federal e defendendo o uso médico da maconha.

Michael Little Bear, 50 anos, um trabalhador braçal em licença devido a um problema nas costas, disse que vinha assistindo às aulas da disciplina "Horticultura 2".

"Experimentei (maconha) e funcionou (contra a dor). Então o próximo passo foi que eu queria fazê-la. Há uma bondade aqui (...). Eles ensinam o jeito certo de fazer as coisas."

Nenhum comentário:

Postar um comentário