sexta-feira, 13 de abril de 2012

Crise imobiliária transforma imóveis em locais de cultivo de Maconha


Os problemas que afligem o setor imobiliário dos Estados Unidos e o elevado número de casas confiscadas devido ao não pagamento das hipotecas estão provocando dor de cabeça na polícia. É que muitas das propriedades estão se tornando em espaços para cultivo de maconha indoor.

De acordo com a Administração de Repressão às Drogas dos EUA, as autoridades descobriram esta prática no ano de 2010, ao desbaratar atividades ilícitas em mais de 150 imóveis no interior do estado de Nevada. Os cômodos das moradias foram transformados em estufas, especialmente preparadas para o plantio de Maconha.

Apenas em 2011, na Califórnia, 791 casas foram fechadas, e agora outras propriedades em vários estados dos EUA estão sendo identificadas como “fábricas de maconha”. Esta tendência também está sendo seguida no Reino Unido, no qual é crescente o número de imóveis alugados destinados ao cultivo indoor de maconha.

Martin Hurcomb, inspetor-chefe da polícia inglesa, em entrevista à rádio BBC, comentou que, “o cultivo de maconha não ocorre apenas nas propriedades clandestinas, mas também em casas e apartamentos de luxo. 

Nós estamos chocados com o nível dos imóveis que se tornaram centros produtores de drogas”.
Para as pessoas que precisam de dinheiro em uma economia sem emprego, o comércio das drogas se torna uma alternativa de alta lucratividade. Essa situação, aliada ao mercado imobiliário decadente, torna-se prato cheio para as ações do crime organizado.

Por sua vez, diante das dificuldades financeiras, os donos dos imóveis alugam seus imóveis sem tomar conhecimento das reais intenções dos inquilinos, principalmente se eles cumprem com os pagamentos da locação.

O combate a essa contravenção é complexo. Também difícil de ser analisada longe da ótica das questões jurídicas e morais. Porque, além de beneficiar os vendedores de drogas, favorece os proprietários, e até alimenta um mercado imobiliário que enfrenta dias difíceis de sobrevivência. Queiram ou não, a maconha é um produto que mesmo no mercado negro, nunca fica em baixa, basta o governo pensar um pouco e preferir tornar esta esfera legal e não deixar na ilegalidade do mercado negro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário