quarta-feira, 18 de abril de 2012

Governo dos EUA derruba site que vendia entorpecente on-line


Agentes federais dos Estados Unidos derrubaram um site envolvido na venda de drogas e indiciaram oito homens responsáveis pela manutenção do serviço. A página "The Farmer's Market" ("O Mercado dos Fazendeiros") usava a rede The Onion Router (Tor), que torna a origem e o destino das comunicações difíceis de serem rastreadas.

A operação das autoridades aconteceu em 2011, resultado de uma investigação que durou dois anos, mas o indiciamento só foi publicado na segunda-feira (16), quando o governo também informou a prisão dos envolvidos. Dos oito acusados, alguns são fornecedores de drogas e não estavam ligados diretamente à administração do espaço de vendas on-line.
Além da comercialização on-line de drogas como maconha, ecstasy e LSD, o site oferecia suporte ao cliente e um fórum de discussões, além de vários formas de pagamento através do Paypal.

Entre janeiro de 2007 e outubro de 2009, o site teria recebido 5.256 pedidos de drogas, movimentando mais de US$ 1 milhão (cerca de R$ 1,8 milhão). Entre abril de 2011 e agosto do mesmo ano, o site teria recebido US$ 261 mil (R$ 480 mil) de transferências via Paypal. Entre elas estava uma compra de US$ 2.2160 (R$ 4 mil) feita por um agente do governo norte-americano, que estava envolvido nas investigações.

O Tor é um software que cria uma rede entre seus participantes. Uma comunicação do Tor, antes de chegar ao verdadeiro destino, cria um caminho aleatório entre os participantes da rede, de modo que é impossível saber quem iniciou a comunicação.

O "The Farmer's Market" também estava hospedado na rede Tor – um endereço terminado em ".onion". Nesse caso, a rede consegue ocultar a localização real do servidor do site, e qualquer pessoa que irá acessá-lo deverá também estar usando o Tor, porque o site não é acessível sem ele.
Apesar disso, os investigadores conseguiram localizar e indiciar suspeitos pelo site. O indiciamento não diz como isso foi feito, no entanto, ele aponta que as autoridades tinham acesso às informações financeiras dos acusados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário