terça-feira, 8 de maio de 2012

Maconha não é a porta de entrada para outras drogas e nem gera violência


Não é de hoje que as pessoas demonizam a maconha sem ao menos saber do que se trata. Normalmente as mesmas ainda se prendem a valores passados há 40 anos, que não correspondem à verdade sobre maconha. Há muito tempo também, escuto principalmente os proibicionistas com aquela balela em que “só quem tem um viciado em casa sabe como é”, o que também não corresponde a uma verdade coletiva, apenas uma análise do cotidiano de uma pessoa. 

No caso da maconha, por exemplo, acho isso completamente absurdo, porque a Maconha não é uma droga de grande ofensividade e como já disse em alguns posts, não creio que uma possível legalização da maconha vá fazer com que se aumente absurdamente os números de usuários, aliás, ninguém pode afirmar isso antes da legalização.

Outro ponto importante a ser batido é justamente a tal falácia de que a Maconha é porta de entrada para outras drogas. Ora essa, a grande maioria dos jovens conhecem a cerveja e o tabaco, que são vendidos em qualquer esquina. Não precisa de muito esforço, aliás, essa situação me lembra quando eu fiz  17 anos e fui convidado a tomar uma cervejinha pelo meu pai, portanto, como assim a Maconha é a porta de entrada para as outras drogas? Não consigo entender de forma alguma a cabeça de muitas pessoas. Talvez, o que realmente falte ensinar aos proibicionistas o verdadeiro conceito de DROGAS. Afinal, não é de hoje que as pessoas não conseguem enxergar que cerveja, cigarro, rivotril, dramin, prozac, dorflex, açúcar, cafeína, entre tantas outras, também são drogas e são muito mais prejudiciais do que o uso de maconha.

Em 2009 nos EUA, o grupo dos maconheiros era 175 vezes maior que os de usuários de heroína , quer dizer que mais de 90% dos usuários de marijuana nunca viu a sombra da heroína, e os outros 9 são como você ou eu, que podem ou não ter tido contato com a heroína.  Gastam a todos os anos bilhões de dólares e milhares de vidas de policiais, traficantes e inocentes com essa guerra contra a maconha, cocaína e heroína, e o número de mortes só aumentam, assim como aqui no Brasil. A repressão só faz aumentar uma coisa: a violência. Quanto mais dinheiro investem em repressão,  aumenta quase que em progressão aritmética o número de mortes, uma verdadeira carnificina, que quem quer proibir as drogas parece não ver.

Se formos pegar outras nações como exemplo, vemos que Itália e Espanha são os países europeus com maiores taxas de uso de drogas, contudo, qualquer um destes países tem taxas bem menores de violência que o Brasil,  tais como roubo, sequestro e homicídio.  

Em uma pesquisa de 2011, 80,3% dos jovens italianos de 14 a 30 anos já fumaram maconha, e em Milão que é uma cidade de 1,330.00 habitantes, nos últimos anos, aconteceram em media 25 assassinatos por ano, coisa que é normal em uma população de 20.000 hab. no Brasil, enfim quero dizer que o uso da Maconha na Itália é umas 4 ou 5 vezes maior que no Brasil (proporcionalmente falando), mas a violência no país Tupiniquim  é 100 vezes maior que a violência na terra da Bota, mesmo tendo  facções criminosas potentes como a 'Ndrangheta, Camorra e Cosa Nostra, conhecidas como Máfia.

Dai você vê que o problema da violência não esta e nunca estiveram nas drogas. O verdadeiro  problemas esta na cultura, na segurança publica, saúde e educação. Talvez não seria hora de pegar alguns impostos dessa erva que nunca matou ninguém, mais o dinheiro investido nessa guerra contra ela,  e colocarmos onde verdadeiramente a sociedade precisa? Ou pelo menos deixar que o usuário plante a sua marijuana em casa para não ir financiar as facções criminosas que existem no Brasil. Ao menos para evitar de mandar para cadeia um usuário , diminuir o poder econômico e o volume de drogas dos traficantes e deixar mais tempo e recursos para as policias e tribunais cuidar dos verdadeiros crimes, como homicídio, sequestro, roubo, enriquecimento com dinheiro público, entre tantos outros que são prioritários, a prender usuários de maconha? Não seria ao menos mais racional?

Não faz sentido pensar que 2009 nos EUA existiam 69.700.000tabagistas, desses morreram 440.000, ou seja, 0,63% dos fumantes vieram a óbito. Usuários de cocaína chegam a 1.200.000, desses morreram 2.500, o que representa  0,20% dos usuários de cocaína, de heroína 399.000, chegando a  2.000 mortes, 0,5%, (sendo que dessas mortes de 50% a 80% dos casos foram por causa da má qualidade da heroína, misturada com outras substancias tóxicas). Sempre no mesmo ano de 2009 nos EUA haviam 4.299.000 usuários de maconha, claro, até hoje sem nenhuma morte. Morreram também 80.000 por álcool + 40.000 em acidentes estradais + 60.000 em acidentes de trabalho e porque então a Maconha é proibida e demonizada? Pense nisso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário