terça-feira, 15 de maio de 2012

Repressão às drogas é uma verdadeira ilusão


Já ouvimos de um estudioso da dependência a drogas dizer que o acesso mais fácil às substâncias entorpecentes tende a levar a um aumento do número de usuários experimentais e ocasionais, mas não dos viciados. Ao contrário do que muitos pensam, as pessoas não se tornam dependentes de drogas somente porque estas estão disponíveis, ao alcance das mãos de qualquer um. É uma questão que envolve uma série de outras questões do círculo pessoal.

Quanto mais aumenta a repressão, mais cresce o consumo de drogas e o tráfico. Se as drogas forem liberadas no Brasil, os dependentes continuarão a consumir cocaína, crack ou maconha como fazem hoje. O que poderá diminuir é distribuição clandestina e a corrupção alimentada por traficantes para driblar a repressão.

Segundo sérios pesquisadores que estudam as razões do consumo de substâncias entorpecentes, a dependência se relaciona diretamente aos aspectos envolvidos no tipo de motivação que o indivíduo sente ao consumir entorpecentes do que com a disponibilidade de produtos no mercado. Se esta é constatação científica, a legalização seria um ótimo caminho.

A experiência na Holanda ensina que posições mais liberais com relação às drogas permitem que o problema possa ser abordado de maneira racional e com eficácia. Tratar a dependência às drogas de maneira emocional é procedimento ilógico. A questão das drogas é uma das mais sérias e complexas da sociedade humana hoje, no Brasil e no mundo.

Uma psicóloga que lida com dependentes em Uberlândia me disse que, “em um ambiente familiar repressivo, um jovem teria muita dificuldade para revelar que usa drogas e isso poderia agravar possíveis problemas correlatos, já que ele não contaria com o apoio de familiares ou com a ajuda de profissionais”. É hora de refletir maduramente, sem emoção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário