segunda-feira, 25 de junho de 2012

Junto com o projeto que pretende a regulamentação da maconha, Uruguai quer também regular a imprensa


O vice-presidente do Uruguai, Danilo Astori, questionou hoje uma iniciativa do governo de José Mujica para regular os conteúdos dos meios de comunicação, que foi anunciada na quarta-feira junto com um pacote de medidas para combater a violência, que inclui a regulamentação da maconha, além da penas em alguns crimes.

Astori assinalou em declarações ao jornal El País que o projeto “de fato é uma limitação à liberdade de expressão” e acrescentou que “é preciso tomar cuidado até onde vão os limites”.
“É preciso defender firmemente a liberdade de expressão, em todos os níveis”, acrescentou o vice-presidente.

Três ministros do governo uruguaio anunciaram na quarta-feira um pacote de medidas para combater a violência, no qual se inclui a legalização da venda de maconha, o aumento das penas de alguns crimes e o controle sobre os meios de comunicação.

Um dos objetivos do governo é incluir os noticiários no horário de proteção ao menor, com o objetivo de limitar imagens violentas nestes espaços. Há dois meses os telejornais exibiram em várias oportunidades o assassinato de um pizzaiolo durante um assalto que ficou registrado nas câmeras de segurança do restaurante.

O projeto ainda poderia incluir o controle de conteúdos de sites e redes sociais, particularmente no que se refere a comentários violentos ou ameaçadores feitos antes ou depois de partidas de futebol.

A iniciativa do governo foi rechaçada por representantes da oposição e pela Associação Nacional de Broadcasters do Uruguai (Andebu), que reúne a maior parte das emissoras de rádio e televisão do país e não aceitam o controle da imprensa em hipótese alguma, por segundo eles, ferirem com veemência a liberdade de expressão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário