sexta-feira, 8 de junho de 2012

Polícia acaba com rede de cultivo de maconha em Miami


Durante anos, a família Santiesteban efetuou uma elaborada operação de cultivo de maconha desde plantar as sementes pelo método hidropônico até colher as plantas e transportá-las para Nova York para vendê-las com pelo menos 17 casas de cultivo espalhadas por todo o condado de Miami-Dade.

Eles instalaram câmeras de monitoramento, contrataram pessoal para proteger seus cultivos e, quando membros da família identificaram um ladrão que havia roubado 30 plantas, ajudaram a sequestrá-lo, afirmaram os agentes. O homem recebeu vários disparos e foi executado. Seu corpo foi jogado em uma rodovia no sul de Dade e sua caminhonete incendiada nos Everglades.

Na terça-feira(5), agentes da polícia finalmente fecharam a operação em grande escala, prendendo seis membros da família e outras 10 pessoas de conspiração para distribuir drogas. Assim terminou um dos maiores negócios de maconha em Miami-Dade.

Junto com os Santiesteban, outras 10 pessoas foram acusadas, incluindo cuidadores, plantadores, e até mesmo um homem que cozinhava para os trabalhadores.

Uma das pessoas que transportavam os carregamentos, Gilberto Jr., tinha o apelido de Lucky 95 pelo fato de fazer viagens pela rodovia de Miami até Nova York pela Interestadual 95 sem ser capturado levando milhares de dólares em dinheiro da droga.

Ele viajava com sua mulher e seus filhos para acobertar-se. Operaram sem ser detectados durante muito tempo, declarou Athas ao juiz federal Edwin Torres, enquanto quase duas dezenas de familiares e amigos dos acusados se ajuntavam no fundo da sala de justiça.

Quando duas das casas de cultivo caíram em batidas da Polícia de Miami-Dade nas quais capturaram mais de dez pessoas, os operadores simplesmente fechavam uma e abriam outra, segundo os documentos.

A Polícia de Miami-Dade teve a oportunidade de acabar com a empresa há oito anos, quando fizeram uma batida em uma casa na 3200 SW 103 Ct. Após receber uma denúncia, mas saíram de mãos vazias. Os policiais não detectaram um quarto secreto ao qual só se pode entrar pela parte externa.

Em 2008, Gilberto Santiesteban Jr., voltava de Nova York após entregar um carregamento quando foi detido pela polícia do condado de Osceola por uma infração de trânsito.Dentro do veículo havia $155.824 e quatro aparelhos elétricos de contar dinheiro. A polícia devolveu os dispositivos, mas confiscou o dinheiro. Santiesteban, que não foi denunciado, não apelou do confisco.

Depois disto, os transportadores começaram a esconder o dinheiro da droga dentro dos pneus estepes para evitar serem pegos.

Enquanto abriam e fechavam casas de cultivo, suspeita-se que a quadrilha movimentou mais de mil plantas. 
Eles cultivavam a maioria aqui, mas vendiam o produto principalmente na área de Nova York, explicou Athas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário