sexta-feira, 3 de agosto de 2012

O Cânhamo como fonte de biocombustível


Uma equipa de cientistas da University of Connecticut (EUA) descobriu há alguns anos que o cânhamo é uma matéria-prima muito adequada à produção de biocombustíveis, e está correntemente a planear a construção de uma refinaria capaz de processar este versátil material.

O aproveitamento será implementado com recurso a um fundo de 1,8 milhões de dólares do Department of Energy dos EUA durante um período de dois anos, e vai produzir perto de 757 mil litros de biodiesel por ano. A equipa afirmou também que a nova refinaria deverá conseguir processar uma grande variedade de matérias-primas para além do cânhamo.

O processo de Parnas utiliza, à semelhança do que acontece com muitas outras aplicações comerciais do cânhamo, a variedade Cannabis Sativa. Esta não possui (como outros tipos de cannabis) propriedades psicoactivas, e é já utilizada na produção de componentes para automóveis.

De acordo com Parnas, o cânhamo tem vários tipos de qualidades que o tornam adequado à produção de biocombustíveis: Cresce em solos pouco férteis, o que torna assim viável o seu cultivo em terrenos com pouca utilidade. Não é uma cultura alimentar, pelo que o seu uso na produção de biocombustíveis não contribui para a escassez de alimentos. Por fim, e segundo os resultados dos testes da equipa, o biodiesel gerado a partir desta planta pode ser queimado eficazmente a temperaturas mais baixas que outros gêneros de biodiesel.

O cânhamo é uma das plantas conhecidas as mais velhas cultivadas para uma finalidade industrial. Pode ser traços toda a maneira de volta a 8000 BC no Médio Oriente e na China. A fibra da planta do cânhamo foi usada para fazer uma variedade de matérias têxteis. O cânhamo tem uma longa história de ser muito versátil e muito útil. O nome Latin, cannabis sativa, significa útil, assim esta planta pequena vive o mais definitivamente até seu nome. O cânhamo é usado nos milhares de artigos e de produtos.

A fibra de cânhamo pode ser usada nos revestimentos em tecido e nos acabamentos plásticos.

O Cânhamo pode reduzir a utilização de fibras têxteis sintéticas. As fibras têxteis sintéticas não são biodegradáveis, geram poluição na sua produção e são feitas de petróleo não renovável. O Cânhamo pode ajudar-nos a mudar para uma economia sustentada pelos hidratos de carbono, porque é o maior produtor de biomassa de qualquer cultura agrícola no planeta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário