quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Sambista Diogo Nogueira diz que já fumou maconha e não tem o menor preconceito com isso

A edição de setembro da revista Status traz uma entrevista exclusiva com o sambista Diogo Nogueira, onde ele revela coisas inusitadas, como a que pretendia seguir a carreira de jogador de futebol e diz que já fumou maconha e não tem o menor preconceito quanto a isso.

"Não tenho o menor problema em dizer que gostava de maconha. Todo mundo já fumou seu baseadinho alguma vez na vida. Hoje eu bebo minha cervejinha e gosto de um bom vinho", afirma.
Ainda quando questionado sobre se é a favor da legalização da maconha, o músico se mostrou a favor, mas pregou cautela e organização neste processo.

 "Eu sou a favor da liberação. Mas é preciso ser feita com calma, de forma organizada".
Filho de João Nogueira - um dos maiores sambistas da história do Brasil -, o cantor teve a língua afiada ao falar da relação entre as escolas de samba e os patrocinadores, e confessa o motivo que o fez deixar de compor novos sambas-enredo.

"Eu ganhei, como compositor, quatro carnavais seguidos. E eram sambas com uma linha mais tradicional. Deixei de fazer, pois cada vez mais os enredos têm que ter algum tipo de ligação com os patrocinadores. É uma promiscuidade inaceitável", diz.

Segundo o músico, a grande parte de seus fãs são mulheres, o que o faz viver às vezes dias do falecido músico Wando. A mulherada fica doida nos meus shows. Eu tenho meus pés no chão: sei que isso ocorre por causa da fama e não me deslumbro e nem caio em tentação. Às vezes é complicado. A mulherada hoje está pegando pesado", relata.

Recentemente, Diogo Nogueira lançou um songbook com a obra de seu pai e em breve fará um outro com canções de Martinho da Vila. O cantor também comentou que irá lançar um disco só de canções próprias e inéditas. "As músicas vão surgindo. Nada na minha vida é planejado", finaliza. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário