sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Boxeador mexicano é suspenso indefinidamente por uso de maconha

O Conselho Mundial de Boxe (CMB) decidiu multar o boxeador mexicano Julio César Chávez Jr. em US$ 20 mil e afastá-lo do ringue por tempo indeterminado pelo o uso de maconha antes da luta contra o argentino Sergio Martínez, no dia 16 de setembro, valendo o cinturão dos médios do Conselho Mundial de Boxe.

A suspensão do mexicano tem como objetivo que o atleta se trate em uma clinica de reabilitação, sendo que o centro que o tratará terá a palavra final sobre quando o boxeador poderá retomar a carreira. Esta foi a segunda vez que um exame antidoping de Chávez deu positivo para maconha.

Apesar da punição, o CMB afirmou que o arrependimento e as desculpas públicas feitas pelo lutador mostram o desejo do atleta em se reabilitar, sendo que ele poderá exigir uma audiência com a entidade, caso ache necessário.

O mexicano, filho de Julio César Chávez, ex-campeão dos pesos-leves, enfrentou o argentino Sergio "Maravilla" Martínez para defender o cinturão dos médios do Conselho Mundial de Boxe. Chávez foi dominado na maior parte dos primeiros 11 assaltos da luta, mas derrubou o rival duas vezes nos últimos três minutos de combate. Mesmo assim, Matinez sobreviveu ao round, ganhando o título por decisão unânime.

O fato de o embate ter sido considerado um dos melhores do ano gerou a expectativa de uma revanche já no início de 2013, mas o teste positivo de Chávez obrigou o adiamento da nova luta.

Apesar da punição, vale lembrar que um dos pontos que se discute atualmente no doping e se as substâncias usadas para fins recreativos, como maconha e cocaína, e que já foram provadas cientificamente que não beneficiam o atleta, não mais causassem suspensão aos mesmos, uma vez que a suspensão prolongada de suas atividades em um esporte de alto nível acabam por prejudicar e muito a carreira de um atleta, sendo que tal suspensão não vai ajudar em nada na recuperação do mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário