segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Candidato à presidência dos EUA afirma: "Estamos à beira de fazer a legalização acontecer"


As eleições presidenciais dos Estados Unidos estão a todo vapor. Entre questões econômicas, políticas e partidárias, a maconha também ganha espaço, visto que 16 estados americanos já legalizaram a cannabis para fins medicinais. Um dos candidatos à presidência, o  governador do Novo México, Gary Johnson – do Partido Libertário – afirmou que está otimista  quanto à questão da legalização, já que o assunto segundo ele, está chegando no seu ponto de inflexão.

"Estamos à beira de fazer a legalização acontecer", afirmou o governador Johnson.

O candidato do Partido Libertário lembrou que cresceu fumando maconha e que desde sua primeira experiência ele percebeu que a maconha em hipótese alguma é mais prejudicial do que o álcool.

Dando sequência à sua fala, Johnson afirmou que nem em 1971, nos seus sonhos mais nefastos, ele podia imaginar que ainda hoje pessoas estariam sendo incriminadas e sendo tratadas como marginais, pelo simples uso da maconha.

“Quando eu falo em legalizar a maconha, eu observo uma questão muito mais profunda, que está relacionado à guerra às drogas. 90% dos problemas gerados em uma sociedade esta ligada não ao consumo e sim à proibição da mesma.”, afirmou Johnson.

A questão da legalização das drogas é crescente em todo mundo. Muitos países já apostaram em um a política de drogas mais humana, tratando-a como questão de saúde. Para que isso possa ser feito, a primeira medida a ser tomada é uma total reforma da legislação de entorpecentes, que passa pela descriminalização das drogas, a começar pela maconha.

Para finalizar, o candidato não hesitou em dizer que o que ele está propondo é a retirada da classificação da maconha como um narcótico, para que se comece uma outra forma de tratar ou não mais penalizar criminalmente aquelas pessoas que estão sendo presas apenas pelo uso de maconha, acarretando não só em mais gastos para o estado, como também para o aumento da população carcerária dos Estados Unidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário