sábado, 13 de outubro de 2012

Novela Protógenes envolvendo o filme TED tem seu capítulo final


Com a decisão do Ministério da Justiça, a "novela Protógenes" chega aos seus últimos capítulos. O deputado Protógenes Queiroz, do PC do B - SP, tinha suscitado uma grande polêmica ao sugerir que a comédia Ted fosse banida do circuito comercial, ou pelo menos proibida aos menores de 18 anos, ao invés da classificação indicativa original, de 16 anos.

De acordo com ele, o filme faz apologia ao uso de maconha. Este foi o seu comentário inicial: "Não poderia ser liberado nem para 16 nem para 18 anos. Esse filme não pode ser liberado para idade nenhuma. Não deve ser veiculado em cinemas", esbravejou o deputado.

Mas o pedido do deputado foi negado pela Justiça, com a menção a seguir: "A atual classificação conferida ao filme 'Ted' faz advertência sobre a presença de conteúdos sexuais, drogas e linguagem imprópria. Tais conteúdos têm impacto minimizado por contexto cômico, fantasioso e não correspondência com a realidade".

Sarcástico, Protógenes publicou uma resposta nas redes sociais: "O THC e FHC agradecem!", em referência à substância química presente na maconha (THC) e ao ex-presidente do Brasil, Fernando Henrique Cardoso, favorável à legalização desta droga. Quem agradece a polêmica é sem dúvida o próprio filme, que ganhou boa publicidade extra e teve uma bilheteria muito acima do esperado, desde que a controvérsia começou.

Em suma, parlamentares deveriam se preocupar com situações que realmente mude o contexto social do país. E inadmissível tamanha polêmica por causa de um filme. Pedir para que o filme não seja exibido é uma tremenda alienação, já que o filme TED não é único em que os personagens se envolvem em orgias, drogas e vida noturna. Aliás, não precisamos nem recorrer muito longe, para lembrar que as novelas que são exibidas no Brasil tem um gigantesco apelo sexual e nem por isso o Deputado quer que elas deixem de ser exibidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário