quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Muitos países são dependentes da economia das drogas, por isso é preciso legalizar!


Quando se fala em descriminalizar as drogas, muitas pessoas não aceitam a ideia, no entanto, poucas pessoas conseguem entender a geopolítica e a geoestratégia das drogas, tratando a questão como mera luta dos fumantes de maconha ou drogados por uma anarquia da liberalização do consumo de entorpecentes, o que é completamente equivocado. Nesta questão, existe temas e circunstâncias mais profundos que precisam ser analisados. Por exemplo, no Vale do Bekaa (Líbano) há mais de 400 mil pessoas envolvidas no plantio da maconha e na produção de derivados, como o haxixe e o óleo. A economia do Marrocos é dependente dessas atividades. Pouca gente se preocupa com este tipo de problema, que é crucial quando falamos do genocídio que a “guerra às drogas” causam.

Mesmo sendo proibidas, as drogas tem uma participação fundamental no PIB de vários países, já que estimam-se que mais de US$ 200 bilhões são movimentados dentro do sistema financeiro internacional. Não podemos deixar de ver que existem muitos interesses quando falamos no monopólio das drogas. Os grandes traficantes, os grandes políticos e chefes de estados, todos ganham com a proibição das drogas, só não ganha aquele que não tem interesse em atividades ilícitas.

A venda de drogas se tornou um grande mercado e que sustenta uma cadeia milionária. Do outro lado, uma pressão gigantesca da ONU proíbe que empresas estrangeiras invistam em países que não colaboram com a chamada “guerra às drogas”, tornando a questão ainda mais conflituosa em países que dependem essencialmente deste plantio ilícito para sobreviver.
Muitos países dependem da renda gerada pela produção de drogas, como é o caso do Líbano, Birmânia, 

Marrocos entre muitos outros. É preciso legalizar e descriminalizar as drogas, primeiramente para que ela perda este alto valor no mercado, depois para que substancialmente esses países possam mudar seu foco agrícola para produtos convencionais, disponibilizando assim um mercado exportador, evitando portando que tais localidades tenham sua agricultura voltada ao plantio de coca, papoula, entre outros derivados que servem para a fabricação de drogas.

Sinteticamente falando, a descriminalização das drogas combate o narcotráfico, o enriquecimento ilícito, a lavagem de dinheiro, a corrupção que é presente e crescente quando falamos das drogas, justamente porque esta  causa todos estes transtornos justamente por se proibida e combatida de forma bélica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário