sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Maconha medicinal x preconceito


Quando falamos em tratamentos alternativos para diversas enfermidades, muitas pessoas conservadoras se dizem contrárias, pois acham que só funcionam os remédios que são vendidos na farmácia, coisa e tal. E principalmente quando falamos de maconha medicinal é que essas pessoas se revoltam, pois sua moral diz que algo ilícito jamais poderia ser benéfico, pois assim que eles foram ensinados (manipulados mentalmente).

Mas quem sabe informando melhor esse tipo de pessoa não podemos mudar essa realidade? Pois eu acredito que sim, por isso escrevo à favor da causa incansavelmente. Então vamos mostrar algumas vantagens da maconha medicinal em relação aos medicamentos provenientes de uma farmácia cercada por interesses políticos corruptos. Porque essas pessoas deveriam se tratar com Cannabis (se legalizar) ao invés de se intoxicar e prejudicarem seus rins e fígado?

Uma das grandes vantagens da maconha medicinal é o fato dela ser natural e ainda assim ser tão polivalente, servindo para tratar de uma vasta gama de males que atingem diariamente as pessoas. De fato ainda não se comprovou o poder de cura definitiva da maconha com os males que geralmente são tratados, isso por causa da dificuldade de acesso para estudar a planta.

Um dos grandes fatores que coloca a maconha em vantagem contra a maioria das drogas, inclusive lícitas, é o fato de que ela não causa overdose, e tem uma explicação científica/médica para isso. O que acontece é que a escassez de receptores canabinoides no bulbo raquidiano, região do sistema nervoso que controla as funções respiratória e cardíaca, explica por que a maconha não causa overdose. Mesmo assim cientistas arriscam dizer que existe uma dose letal, sendo em média de 65 a 70 cigarros, porém isso além de nunca ter acontecido de fato, vem por água abaixo quando pessoas como o rapper Snoop Dogg admite fumar 80 cigarros de maconha diariamente, há vários anos, e ainda assim continua bem vivo.

Outra boa vantagem é seu fator recreativo, que pacientes com problemas de depressão ou doenças degenerativas, além de poder usar um medicamento que de fato aliviam suas dores, náuseas ou problemas psicológicos, têm um meio de poder sorrir mais facilmente, apreciar comida e música com mais vontade e deleite.

Então até quando a ignorância da população vai permitir que as autoridades proíbam algo tão natural e benéfico, dizendo calúnias a respeito de uma planta sagrada, usada há milênios? Vamos Brasil, é hora de acordar. Legalize já ! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário