quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

A Maconha Medicinal já era conhecida na antiguidade


Uso medicinal da maconha tem sido fonte de controvérsia e debate intenso em várias localidades do mundo. Contudo, a maconha tem se mostrado benéfico no tratamento de náuseas, câncer e artrite, entre outras doenças como a Aids, e distúrbios neurológicos.

A maconha tem uma longa história de ser usado para fins medicinais, que remonta há milhares de anos. Na Índia, por exemplo, a droga foi usada para combater a fome e sede, e foi misturado com leite para fazer bhang, uma bebida usado um anestésico.

Na Grécia antiga a maconha foi usada tratar dores de ouvido e inflamação.No século 19, a maconha  era para dores de estômago e espasmos musculares.

Adiantando-se até a década de 1970 e 80, médicos  examinar a droga, e descobriam que ela era eficaz no tratamento de glaucoma e para reduzir  a cegueira .Estudos de saúde o também descobriram a cannabis sendo eficaz no tratamento de doenças auto-imunes, tais como a AIds, bem como reduzir os danos de distúrbios neurológicos, tais como acidentes vasculares cerebrais, doenças de Alzheimer e doença de Parkinson.

 A imagem da maconha também mudou de um tratamento médico legítimo para uma droga de passagem recreativo e que vem alavancando uma grande debate em todo o mundo sobre o uso restrito para medicação ou outras alternativas, que poderiam levar ao afrouxamento de leis e a não punição daqueles que também apreciam a erva para fins recreacionais.

Nesta década, o intenso debate levanta não só a descriminalização, mas uma série de fatores, como violência e enriquecimento ilícito, que são causados pela proibição da maconha. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário