quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Traficantes reclamam da falta de maconha no Uruguai


Desde que o governo uruguaio acenou para uma mudança na política de drogas do país, principalmente em relação à maconha, muito vem se debatendo sobre esta questão. Desta vez, um fato inusitado tomou conta do país, já que existe uma escassez de maconha no mercado ilegal, fato que vem revoltando os vendedores ilegais da maconha.

Todo verão, o Paraguai passa por uma mudança de cultivo da planta, afetando seu envio para o exterior. A desarticulação de uma série de organizações locais que se encarregavam especificamente do tráfico de maconha também contribuiu neste ano para a escassez da droga no Uruguai. Na semana passada, a polícia apreendeu 50 quilos de maconha na cidade de Rocha, uma quantidade ínfima na comparação com os 1.224 quilos apreendidos no ano passado.

Sem parâmetros da chegada da droga no país, os agentes de segurança deixaram de acreditar na premissa que, para cada quilo apreendido, outros 10 passam pela fronteira.

O governo uruguaio enviou ao Congresso em junho do ano passado um projeto que prevê a "legalização regulada e controlada da maconha", além de estatizar a venda da droga, como forma de combater a criminalidade e o uso de drogas mais pesadas.

Para o presidente do país Pépe Mujica,  "os fatos mostram que a repressão aumenta de forma permanente o tráfico de drogas", afirmou o líder uruguaio enquanto o Parlamento analisa sua iniciativa de legalizar o consumo e a venda de maconha no país.

"Os latino-americanos estão no meio deste problema" e o tráfico de drogas "gerou uma verdadeira batalha sangrenta no continente e ameaça se multiplicar", acrescentou Mujica.

O presidente do Uruguai destacou que "o grande mercado" para o tráfico de drogas "está nos Estados Unidos, que não encontrou uma forma de diminuir e eliminar o consumo interno".
Pela segunda semana consecutiva, Mujica utilizou seu programa de rádio para se referir ao tema do tráfico de drogas.

No último dia 24, o presidente insistiu de que o narcotráfico é o "verdadeiro veneno" das sociedades na atualidade e disse que seus efeitos são muito piores do que os da droga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário