quinta-feira, 28 de março de 2013

A maconha na vida adulta não é prejudicial ao cérebro

cannabis - maconha não mata neuronios
Uma das polêmicas da maconha é perda de memória e a destruição de neurônio, que em muitas vezes é entoada pelos conservadores. Como tudo na vida tem os dois lados, estudos mais recentes afirmam que a maconha na vida adulta faz até bem para o cérebro. Um estudo que foi publicado no American Journal of Epidemiology, mostrou que adeptos da Cannabis não perdem nenhuma capacidade cerebral por usarem a maconha durante um longo tempo, na verdade, o que se observou foi que muitas dessas pessoas estavam até mesmo com a cabeça mais afiada do que os não fumantes.

“Os resultados parecem sugerir ainda que o uso de drogas, no passado ou atualmente, não está necessariamente associada com o funcionamento cognitivo na meia idade. Entretanto, nossos resultados não excluem eventuais efeitos nocivos em alguns indivíduos que podem estar expostos a drogas durante longos períodos de tempo.” comentou Alex Dregan, o chefe da pesquisa.

Para o Dr. João Menezes, PhD pelo Massachusetts General Hospital e Harvard Medical School e Neurocientista do Instituto de Ciências Biomédicas da UFRJ, no caso de adultos jovens acima de 20 anos as evidências de danos permanentes são negligíveis ou inexistentes. Não é incomum relatos de usuários adultos descrevendo que o uso da Cannabis pode ser até mesmo positivo para seus trabalhos intelectuais. Mas acredito que isto advém deum aprendizado pessoal no uso da droga. E mesmos nestes casos, a maioria destes indivíduos tendem a evitar o uso nas atividades que envolvam novos aprendizados e conhecimentos, em geral relatam o uso para criar e não para aprender.

Um comentário: