quarta-feira, 3 de abril de 2013

Marcha da Maconha-SP realizou protestos ontem contra a PL 7663/10


Na tarde de ontem, ativistas e manifestantes da Marcha da Maconha de São Paulo distribuíram drogas usadas legalmente pela sociedade. O ato, foi um protesto contra a o Projeto de Lei (PL) 7663 de 2010, que atualmente tramita na câmara dos deputados e tem como ponto retrógrado a internação compulsória.

Entre as críticas do coletivo à atual legislação de drogas, que pode ser endurecida com a aprovação do PL, estão os critérios de classificação para definir que substâncias devem ser ilegais, pois não existe um critério científico que seja adotado e nem que proteja a saúde pública.

Em relação ao projeto de lei proposto pelo deputado Osmar Terra (PMDB-RS), o panfleto distribuído no protesto aponta dez pontos considerados problemáticos. Entre eles, está o aumento das possibilidades de aumento de pena para indivíduos presos por tráfico, “fazendo subir o número de encarcerados no país”. O texto também alega que a proposta “prioriza a internação” dos usuários, enquanto no modelo atual a internação só é adotada em último caso.

Muitas pessoas que passaram pela manifestação, aproveitaram para pegar uma birita e um cigarro. Muitos aproveitaram os protestos para se informar sobre o tema, que está ganhando importância na sociedade. 

Atualmente, existe uma grande polêmica em torno da liberação da maconha. O movimento está crescendo e a população, querendo ou não, vai ter de se envolver nessa história e dar a sua opinião “Existem países de primeiro mundo em que a droga é liberada e eu não vejo tantos problemas lá com eles”, opinou um dos pedestres que passavam pelo o local.

Em outros casos, muito dos pedestres se disseram indiferentes à polêmica da legalização das drogas. “Se legalizar, tanto faz. Na rua estão usando de qualquer forma. Cada um é cada um, quem gosta de usar usa. Quem não gosta, não usa”, disse.

Um comentário: