quarta-feira, 15 de maio de 2013

A Cannabis está associada à prevenção de diabetes


Cannabis medicinalPesquisa revela que usuários regulares de Cannabis têm níveis mais baixos de insulina quando em jejum.

Fumar maconha pode prevenir o desenvolvimento de diabetes, um dos distúrbios crônicos que mais rapidamente crescem  em todo o mundo.

Se a associação for provada, isso poderia levar ao desenvolvimento de tratamentos baseados no princípio ativo da maconha, tetrahidrocanabinol (THC), sem seus efeitos intoxicantes

Os pesquisadores descobriram que os usuários regulares da droga tinham níveis mais baixos do hormônio insulina em jejum - um sinal de que eles estão protegidos contra diabetes. Eles também tinham reduzido a resistência à insulina. Cannabis é amplamente fumada nos Estados Unidos com mais de 17 milhões de usuários atuais dos quais mais de quatro milhões fumam diariamente. No Reino Unido, dados mais recentes mostram 2,3 milhões de pessoas consumiram cannabis no último ano, mas os números têm diminuído na última década.

O estudo envolveu quase 5.000 pacientes que responderam a um questionário sobre o uso de drogas e faziam parte do National Health and Nutrition Survey entre 2005 e 2010. Os resultados mostraram que quase 2.000 haviam usado maconha em algum momento de suas vidas e mais de um em 10 (579) eram usuários atuais. Somente aqueles que tinham usado maconha no mês passado mostraram evidências de proteção contra diabetes, sugerindo que os efeitos devem se desgastar com o tempo. Os usuários atuais da droga tinham 16 por cento a insulina de jejum menor do que aqueles que nunca usaram a droga.

Murray Mittleman, da Unidade de Epidemiologia Cardiovascular no Israel Deaconess Medical Centre Beth em Boston, e autor principal do estudo publicado no The American Journal of Medicine, disse que estudos anteriores mostraram menores taxas de obesidade e diabetes em usuários de maconha. O que contradiz as crenças leigas que dizem que o usuário por sofrer a larica, teria mais tendência à engordar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário