quinta-feira, 30 de maio de 2013

Como a América passou a amar a maconha


legalização da maconhaÉ fato entendido por todos que quem começou a tal guerra contra as drogas, com um foco especial na maconha, foram os EUA, então a pergunta é, como os EUA pararam de se preocupar negativamente com a erva e passaram a ama-la ?

Por quase um século, os Estados Unidos tem sido um dos mais ferozes defensores e praticantes da proibição da maconha no mundo. No auge do fervor anti-maconha da América nos anos 1950 e 60, podia-se até mesmo receber prisão perpétua por simples posse da droga.

Mas o fervor puritano que, uma vez tinha dominado o debate nacional em torno da maconha tem sido aos poucos ausentado dos debates. No início deste mês, a Assembléia Legislativa do Colorado, por ordem de um referendo de novembro, aprovaram projetos de lei para implementar a legalização e regulamentação do uso da maconha recreativa.

Eleitores do estado de Washington também aprovaram a legalização por referendo no dia da eleição. E esses eventos foram recentemente seguidos por mais uma boa notícia para os defensores da reforma da lei  da Cannabis. A Organização dos Estados Americanos sugeriu recentemente que a legalização da maconha poderia ser uma forma de reduzir a violência de drogas no ocidente. 

Talvez o movimento mais importante, foi finalmente encontrado por uma voz em Capitol Hill, como representantes de Blumenauer submetidos à legislação no início deste ano que iria acabar com a proibição federal da droga, e permitir que os estados cobrassem impostos e regulá-la como entenderem. Como Bill Keller disse recentemente no New York Times, "Hoje, a questão mais interessante e importante não é mais se a maconha será legalizada - eventualmente, pouco a pouco, ele vai ser - mas como isso será implementado."

Nenhum comentário:

Postar um comentário