quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Estudo conclui que canabinoides destroem células cancerosas e previne que outras cresçam

Um novo estudo publicado online pela revista Anticancer Research descobriu que os canabinoides podem "destruir" as células cancerosas, e impedir que novas venham a crescer.

Para o estudo, os pesquisadores testaram seis canabinoides provenientes de cepas de cannabis diferentes (como o canabidiol [CBD] e cannabigerol [CBG]) em sua relação com as células de leucemia. Verificou-se que cada um destes canabinoides mostraram ser eficazes no combate às células de leucemia. Foram usadas cepas de maconha diferentes, pois sabe-se que cada estirpe de maconha possui concentração diferente de canabinoides.

"Dos seis canabinoides estudados, cada um demonstrou propriedades anti-cancerígenas tão eficazes quanto as observadas no THC. É importante ressaltar que eles tiveram um efeito maior sobre as células cancerosas quando combinados uns com os outros ", de acordo com um comunicado de imprensa.

"Este estudo é um passo crítico no desbravamento dos mistérios da Cannabis como uma fonte de medicina. Os canabinoides examinados têm, se for o caso, mínimos efeitos secundários alucinógenos, e suas propriedades como agentes anti-câncer são promissoras ", diz a Dr. Wai Liu, principal autora do estudo.

Ela continua, "Estes agentes são capazes de interferir com o desenvolvimento de células cancerosas, impedindo-as nas suas faixas e evitando que elas se multipliquem. Em al
guns casos, utilizando padrões de dosagem específicos, podem destruir as células cancerosas".

"Usada em combinação com o tratamento existente, poderíamos descobrir algumas estratégias muito eficazes para combater o câncer. Significativamente, estes compostos são baratos de produzir e fazer melhor uso de suas propriedades únicas poderia resultar em remédio contra câncer muito mais rentáveis no futuro.

Este estudo extremamente promissor, que foi realizado na Universidade de St. George, em Londres, pode ser lido na íntegra clicando aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário