sexta-feira, 29 de novembro de 2013

DEA propõe um novo código para drogas feitas a partir de extratos de maconha

dea e a regulamentação da cannabisO fenômeno óleo de haxixe butano (Butan Hash Oil) resultou em um novo pedido do Drug Enforcement Administration (DEA), nos EUA, para criar um novo código de drogas feitas a partir extratos de maconha. Numa altura em que o apoio à legalização da maconha recreativo e medicinal está em alta, a DEA sente a necessidade de intensificar a guerra contra a maconha. independente da vontade do povo.

A Drug Enforcement Administration (DEA) propõe a criação de um novo código numérico ao governo de Substâncias Controladas ( "Number Code" ou "código de droga ") para "Extrato de maconha." Este número de código permitirá que a DEA e entidades ligadas à DEA registrem e controlem as quantidades deste material separados a partir de quantidades de maconha . Este, por sua vez, irá auxiliar no cumprimento de disposições de tratados relevantes.

Sob os tratados internacionais de controle de drogas ( administradas pela Organização das Nações Unidas), existem algumas diferenças entre os controles regulamentares referentes ao extrato de maconha versus aqueles para maconha e o THC. DEA estabeleceu códigos numéricos separados para a maconha e para o próprio THC, mas não para extratos de maconha  Para melhor controlar esses materiais e melhor cumprir as disposições do tratado, a DEA está propondo a criação de um número de código separado para extrato de maconha: " Extrato de maconha significa extratos que foram derivados a partir de qualquer planta do gênero Cannabis e que contêm canabinoides. "Tais extratos de maconha iriam continuar a ser tratados como substâncias cronograma I controlada. Ou seja, droga de alta periculosidade, juntamente com cocaína, heroína e metanfetamina.

Então a pesar do pretexto da DEA de querer numerar para controlar melhor, o que até seria válido, eles continuam declarando seu atestado de burrice, uma vez que o planeta inteiro sabe que a maconha nem de longe se equipara a drogas laboratoriais como heroína  e metanfetamina, além da cocaína, então como uma agência que deve ser tão respeitada continua com essa opinião tão medíocre?

Nenhum comentário:

Postar um comentário