quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Cogumelos mágicos e a conectividade do cérebro com a possível realidade

poderes da psicodeliaMais de meio século atrás, o autor Aldous Huxley intitulou seu livro sobre sua experiência com alucinógenos como "As Portas da Percepção" (The Doors of Perception), tomando emprestada uma frase de um poema de William Blake de 1790 (que também emprestou à banda de Jim Morrison seu nome).

Se as portas da percepção fossem limpas, tudo apareceria ao homem como é, infinito. Pois o homem fechou-se, até que ele vê todas as coisas através de fendas estreitas de sua caverna.

Com base nessa idéia, Huxley propôs que a consciência comum representa apenas uma fração do que a mente pode levar para nós. Para nos manter focado em sobrevivência, Huxley afirmou, o cérebro tem de agir como uma "válvula redutora" na enchente de potencialmente esmagadoras imagens, sons e sensações. O que resta, Huxley escreveu, é um "mísero tipo de consciência" necessário "ajudar-nos a manter vivos."

Uma nova pesquisa reforça a idéia de "psicodélico" como um rótulo preciso para essas drogas. A palavra foi originalmente cunhada por Huxley, da "psique" palavra do idioma grego para mente ou alma e "delos" para manifestação, ou seja, manifestação da mente ou alma. Um crescente corpo de literatura sugere que essas drogas podem de fato ajudar os cientistas a entender o funcionamento da mente e do cérebro, revelando alguns dos fundamentos da consciência.

Um novo estudo sobre a psilocibina (ou Psilocybin) feito por pesquisadores britânicos apoia a teoria de Huxley. Ele mostra, pela primeira vez como a psilocibina - a droga contida nos cogumelos mágicos - afeta a conectividade do cérebro. Os pesquisadores descobriram que o psicodélico químico, que é conhecido por desencadear sentimentos de unidade com o universo não funciona, elevando gradualmente a atividade do cérebro à medida que esperava. Em vez disso, ele reduz.

Então tirando minha conclusão imagino o seguinte. Quando os cientistas afirmam que o ser humano só usa em toda a sua vida aproximadamente 7% da sua capacidade cerebral, se trata exatamente do que disse William Blake, a tal fenda da caverna pela qual enxergamos, afinal já foi comprovado que os efeitos que você sente após ingerir drogas psicodélicas, de enxergar cores novas, sentir emoções novas e até usar sentidos até então desconhecidos, são causados devido a um real aumento do uso da capacidade cerebral, ainda não se mediu exatamente em quantos por cento, mas existe um aumento que ultrapassa os 20%, então não se trata apenas de um barato, ou de uma lombra como chamam, mas sim da sua mente trabalhando com maior capacidade, e assim seria o mundo se usássemos sempre essa porcentagem maior do cérebro, um mundo psicodélico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário