quarta-feira, 2 de abril de 2014

MDMA pode reduzir a ansiedade social em adultos autistas, mas como?

pesquisas sobre drogas psicodélicasOs pesquisadores querem saber se MDMA tem os mesmos benefícios para os adultos autistas em um ambiente terapêutico, como aparentemente, faz em uso recreacional.

Uma cientista em Los Angeles, da Biomedical Research Institute (LA BioMed) disse que realizou entrevistas com numerosos adultos no espectro do autismo que tomaram a droga em uso recreacional - que é conhecida nas formas de Ecstasy ou Molly - e relataram uma redução na ansiedade social.

Quase três quartos dos mais de 100 adultos autistas pesquisados relataram sentir "mais conforto em ambientes sociais", enquanto usaram a droga e 77% considerou " mais fácil do que o habitual para falar com os outros", disse a pesquisadora Alicia Danforth, da LA BioMed.

Em alguns casos, ela disse, estes efeitos duraram um ano ou mais, embora alguns destes medicamentos fabricados ilegalmente e comercializados em festas rave contêm pouco ou nenhum MDMA.

"Este novo estudo vai nos dar uma chance para determinar os efeitos reais de doses de medicamentos diferentes que sabemos com certeza serem puros em MDMA em adultos no espectro do autismo ", disse Danforth. "Os dados deste estudo serão utilizados para projetar ensaios clínicos adicionais. "

MDMA - ou 3,4-metilenodioximetanfetamina - é um composto sintético desenvolvido pela primeira vez pela empresa farmacêutica Merck, em 1912 como um possível inibidor de apetite, e terapeutas começaram a estudar o seu uso na década de 1970 como uma ferramenta para reduzir a depressão moderada e ansiedade.

Mas seu uso terapêutico legal terminou em 1985, quando o MDMA foi reclassificado como um narcótico após seu uso recreativo ter se espalhado e atraído a atenção da mídia.

A droga, que é ao mesmo tempo estimulante e psicodélica, estimula a liberação do neurotransmissor serotonina do cérebro e pode produzir um maior sentido de prazer, auto-confiança e energia.

Os usuários também relatam sentimentos de paz, aceitação e empatia.

Pesquisadores da LA BioMed estão iniciando um estudo sobre a segurança e a eficácia da terapia de MDMA para adultos autistas.

O estudo é o mais recente de um programa de expansão de pesquisas sobre o uso terapêutico do MDMA e outras drogas psicodélicas, incluindo LSD.

Adultos no espectro do autismo geralmente enfrentam desafios na adaptação social, juntamente com uma maior ansiedade, depressão e vitimização do que os adultos com desenvolvimento típico.

Prescrição de medicamentos convencionais que podem ajudar outros adultos são muitas vezes ineficazes em adultos autistas, por isso os pesquisadores esperam que o MDMA possa abrir novas áreas de tratamentos terapêuticos para aqueles pacientes.

"Temos indícios de que adultos autistas que experimentaram MDMA experimentaram uma redução na ansiedade e uma maior confiança nas suas capacidades para interagir socialmente", disse o Dr. Charles Grob, pesquisador-chefe do LA BioMed para o estudo.

A equipe ficou impressionada com os resultados comunicados por outras pesquisas de psicoterapia assistida com MDMA realizadas pela Associação Multidisciplinar para Estudos Psicodélicos sem fins lucrativos (MAPS).

"Nós sabemos de outros resultados da pesquisa que o MDMA pode reduzir a atividade na parte do cérebro que se comunica o medo que pode levar à ansiedade social", disse Grob ." Outros estudos também descobriram que o MDMA pode aumentar a oxitocina, um neuropeptídeo associado com afiliação social de seres humanos, o que também poderia ser benéfico para adultos no espectro do autismo ."

O estudo, que está sendo realizado junto com pesquisadores da Universidade de Stanford, irá medir o nível de oxitocina no cérebro para determinar se o MDMA aumenta a sua secreção e que papel exerce, se algum, como o aumento dos níveis do hormônio neurohypophysial pode ter na terapia.

Danos relacionados ao MDMA nos neurônios, que ajudam a regular o humor, a memória, sono e apetite, e pesquisas sugerem que o uso pesado pode causar problemas de memória persistentes.

Os usuários também relatam sentir-se confusos, deprimidos, ansiosos, ou paranoicos depois de tomar a droga (bad trips), às vezes o uso de MDMA também pode desencadear problemas de sono.

A droga também pode aumentar a frequência cardíaca e da pressão arterial durante o uso e provocar tensão muscular, rangir dos dentes - apertamento, náuseas e sudorese.

O estudo feito pela LA BioMed tem aprovação da EUA Drug Enforcement Administration (DEA) e da EUA Food and Drug Administration (FDA), e será financiada por doações da MAPS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário