segunda-feira, 14 de julho de 2014

Algumas maneiras fáceis de manter pragas longe de suas plantas de maconha

dicas de cultivoDurante séculos, os jardineiros tiveram que lidar com as pragas de muitas variedades. Sejamo pássaros, insetos, mamíferos, ou mesmo outros seres humanos, as plantas cultivadas parecem ter um alvo em suas costas. Enquanto os seres humanos realmente não comem cannabis crua, algumas pragas certamente parecem gostar do sabor. Se não for controlada, uma infestação pode acabar estragando sua colheita. Ao mesmo tempo, o uso de produtos químicos agressivos para repelir as pragas pode ser prejudicial para você mais tarde. Para evitar tudo isso, nós compilamos uma lista de alguns repelentes seguros e eficazes (e outras precauções de segurança) para manter insetos longe de suas plantas. 

Só use solo ou fertilizante esterilizado. O problema com o solo não-esterilizado é que ele pode conter os ovos ou larvas de algumas pestes comuns da maconha. Se você cultivar a sua maconha neste solo, você vai ter uma desagradável surpresa quando os ovos eclodirem ou aquelas larvas começarem a crescer. Isto é particularmente ruim para cultivo indoor, porque não existem predadores naturais dentro de sua casa. 

Use predadores naturais. Claro, se você está cultivando maconha ao ar livre, você pode fazer uso de insetos predadores. Joaninhas são notoriamente benéficas para se ter em torno de suas plantas de maconha ao ar livre, porque elas gostam de predar larvas e outras pragas potenciais. Louva-deus também é um inseto bem vindo, pois ele se alimentará de ovos deixados por exemplo por moscas brancas em suas folhas.

Cultive plantas repelentes. Intercalando o jardim de maconha com algumas plantas naturalmente repelentes é certamente uma boa maneira de manter os predadores afastados. Apesar do THC que a maconha produz agir como um repelente natural em seu próprio favor, muitas vezes não é forte o suficiente para repelir todas as pragas. Plantas particularmente pungentes como gerânios e citronelas manterão muitos insetos afastados.


Nenhum comentário:

Postar um comentário