sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Estudos mostram que maconha pode fornecer proteção contra vírus Ebola

maconha previne EbolaO vírus Ebola já deixou de ser exclusividade da África e atingiu as Américas. Como ele se espalha, cada vez mais se tornando uma preocupação global, os pesquisadores estão desesperados por métodos eficazes para combater a doença mortal. Se o surto continuar a crescer sem controle, esse vírus tem o potencial para derrubar uma grande porcentagem da população do mundo. 

Dia 12 de setembro de 2014, a revista Science continha um artigo feito por um painel de investigadores na vanguarda dos estudos com Ebola detalhando suas descobertas que o Ebola já tinha sequenciados geneticamente em dezenas de vítimas. O fato de o vírus se mutar rapidamente faz com que a criação de um soro para tratar todos os pacientes seja altamente improvável. Diagnosticar a tensão de cada paciente e encontrar um tratamento comum e eficaz é fútil. A taxa de mortalidade tem sido e continuará a ser substancial, mesmo no melhor cenário. Enquanto os pesquisadores se esforçam para produzir uma vacina, poderiam os anti-retrovirais da Cannabis serem um tratamento eficaz? Brad Morehouse, fundador da NewCure.org acredita que irá diminuir consideravelmente a taxa de mortalidade e, muito possivelmente, ser benéfico no uso clínico. 

"Bastante pesquisa já foi feita, e há evidências atuais de que canabinóides estão acabando com outras doenças, como a doença de Lyme, que é esmagadora", diz Morehouse. "A maconha está sendo pesquisada como uma substância natural para combater o HIV e reconstruir o sistema imunológico do corpo, já que é um dos melhores anti-retrovirais da natureza." Leis federais e estaduais dos EUA, bem como as restrições de pesquisa em empresas farmacêuticas, prejudicam gravemente o avanço e a investigação das propriedades curativas da cannabis. A pesquisa mundial realizada até agora indica que a Cannabis tem potencial médico significativo e usos terapêuticos inumeráveis. Pesquisadores na área de curas naturais, no entanto, estão em uma desvantagem adicional - eles não podem trabalhar com o vírus Ebola em laboratório, pois a obrigatória 4 Bio-security é muito além do alcance de tal pesquisa. Independentemente disso, Morehouse acredita que chegou o momento de aproveitar as propriedades anti-inflamatórias de Cannabis e seus benefícios para o sistema imunológico. 

Estudos concluem que Ebola mata pela tempestade de citocinas, uma reação do sistema imunológico potencialmente fatal. Além da Cannabis ter anti-retrovirais, os canabinóides são anti-inflamatórios, o que diminui a gravidade da tempestade de citocina. O estudo de canabinóides levou a muitas descobertas importantes em imunologia - não só a existência de um novo sistema fisiológico (sistema endocanabinóide), mas também o seu papel na regulação do sistema imunológico. Estudos que examinaram o efeito de canabinóides na imunidade têm mostrado que muitos mecanismos celulares e citocinas são suprimidos por estes agentes. 

A maconha é indiscutivelmente medicinal, a planta por si só, e não apenas seus óleos ou extratos produzidos por empresas farmacêuticas. Cada dia mais vemos estudos mostrando que a maconha trata mais problemas do que imaginamos, mas a ignorância das autoridades ainda insiste em proibir algo que é uma planta, recreativa e medicinal. Nós temos o direito e o dever de lutar pela legalização da planta no Brasil, pois isso seria uma verdadeira revolução em todos os sentidos no nosso país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário