segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Entenda porque todas as drogas devem ser legalizadasproi

legalização das drogasA proibição das drogas tem sido um peso nos puxando para baixo ao longo de décadas, é hora de fazer uma mudança, pois proibir o uso de drogas é uma atitude completamente anti-evolutiva.

À medida em que a guerra contra as drogas continua a bater e queimar, governos, cientistas, e pessoas estão começando a mudar os paradigmas alternativos de pensamento. Uma tal estratégia que está ganhando popularidade é a noção da legalização completa das drogas - sim, sim, todas elas!

Por quê? Porque a liberação funciona muito melhor do que a proibição. Antes de zombar e julgar isso como um absurdo, vá para o raciocínio e as provas em primeiro lugar.

 A fundamentação
OK, então algumas das mentes mais inteligentes e informadas do mundo têm tomado um tempo para refletir sobre o problema do uso de drogas, e sempre voltam e colocar a legalização total como solução sobre a mesa.

Por quê? Bem, a total legalização tem algumas vantagens teóricas. Em primeiro lugar, se a história nos ensinou alguma coisa, essa coisa é que criminalizar um produto que está em alta demanda, não faz nada, além de claro, fortalecer a um mercado negro. Ramificações legais fazem muito pouco para dissuadir as pessoas nessas situações, e produzem um ambiente inseguro e não regulamentado, onde gangues criminosas e aproveitadores correm livremente.

Não há exemplo melhor disso do que a proibição dos EUA para o álcool, que durou de 1920 - 1933. A proibição não fez nada para reduzir o consumo de álcool, mas sim o aumento da população carcerária, diretamente causando um aumento dramático na atividade de gangues criminosas, e resultou em um aumento de absurdos 400% em mortes por intoxicação relacionados com o álcool, devido ao álcool de má qualidade que era produzido devido a falta de regulamentação em uma produção completamente legal e fiscalizada.

Há também o fato de que quando uma substância, como uma droga, é proibida, seus usuários são tratados como criminosos, em vez que, na verdade, aqueles em potencial precisam é de ajuda. Agora, dizer que todo usuário de drogas precisa de ajuda é igualmente errado; quem gosta de um pouco de uma boa maconha ou de psicodélicos em uma relação de uso esporádico é provável que gente desinformada os chame de viciados, como, francamente, eles podem não ser. No entanto, por talvez oferecer a um fumante de maconha um pouco de educação sobre os efeitos da maconha, e formas seguras para usá-la, em vez de distribuir tapas na sua cara com um registro criminal, é possível reduzir potencialmente o uso e incentivar práticas responsáveis do uso.

É claro, existem usuários de drogas que realmente precisam de ajuda, tais como os viciados em substâncias mais pesadas e que fazem sérios danos aos seus corpos. Nesta situação, em vez de serem tratados como criminosos, eles seriam tratados como pacientes com necessidade de cuidados médicos. Em qualquer caso, é imperativo que qualquer ampla regularização das drogas não seja convertida em um programa de tratamento obrigatório. Sim, alguns usuários de drogas têm problemas, mas, de longe, não todos.

Tratamento medicamentoso obrigatório, semelhante ao que Portugal tem implementado, perde o ponto: O uso de drogas também não é uma doença, mas um hábito.

Outro argumento para a legalização é o custo. Todos os anos, milhares de milhões de euros são gastos para impor a proibição e prender infratores da legislação antidrogas ultrapassada. Imagine o que poderia ser feito se esse dinheiro e tempo, fosse gasto com o serviço de saúde, educação, ou concentrando-se em crimes de natureza mais grave. Mas não só iria a legalização salvar esse dinheiro, como iria também gerar mais dinheiro na forma de regulamentos, e os empregos e impostos que são criados por eles.

Outra coisa a se considerar é que as detenções relacionadas com as drogas tendem a se concentrar em um segmento desproporcional da sociedade, ou seja, aqueles que são pobres ou de uma minoria étnica. Agora pensamentos iniciais podem ser, "bem, talvez eles só usem mais?", Mas de acordo com vários relatórios, incluindo esta da caridade política de drogas, esqueça, pois isso é incorreto. Mesmo se as pessoas usarem mais drogas, elas têm substancialmente menos chances de serem revistadas ou presas. A legalização das drogas faz com que esta questão redundante se acabe, pois colocaria todos em igualdade.

fonte:
http://www.release.org.uk/publications/numbers-black-and-white-ethnic-disparities-policing-and-prosecution-drug-offences

A EVIDÊNCIA
Uma das balizas brilhantes que mostram que a descriminalização e, potencialmente, a legalização, podem ser um benefício enorme para a humanidade é Portugal. Todos as drogas têm sido descriminalizadas em Portugal há mais de 10 anos, e não tem causado uma revolução no abuso de drogas e crime.

Concentrando-se em tratamento, educação e prevenção em vez de processar os usuários, a quantidade de mortes e doenças relacionadas com as drogas simplesmente despencou - tudo sem o aumento do uso geral de drogas que muitos temiam que descriminalização pudesse trazer. Não só isso, mas as pessoas não estão mais sendo colocadas na prisão por delitos menores, a criminalidade é baixa, e a atividade criminal relacionada com o tráfico de drogas não aumentou.

Mais informações sobre os efeitos da descriminalização podem ser vistas no recente relatório da Transform, uma instituição de caridade política de drogas baseada no Reino Unido.

fonte:
http://www.tdpf.org.uk/blog/drug-decriminalisation-portugal-setting-record-straight

É uma situação de dupla vitória. Não houve efeito negativo da descriminalização das drogas. As crianças não estão mais em risco, o crime não tem qualquer tendência de aumento, as drogas não se tornaram mais acessíveis, e os recursos estão sendo bem melhor utilizados.

Isto é ainda demonstrado por dois acontecimentos muito recentes, em que a Organização Mundial de Saúde pediu a descriminalização de todas as drogas, e os líderes mundiais proeminentes encomendaram um relatório que pedia o fim da guerra contra as drogas.

Outro bom exemplo de como a legalização poderia possivelmente alavancar o número de empregos é a recente legalização da maconha no Colorado. Agora é legal para adultos com mais de 21 anos que usem cannabis de uma forma totalmente legal, seja medicinal ou recreativa. Desde a mudança, a criminalidade tem reduzido muito, empregos foram criados, e as receitas fiscais em geral só tomam um rumo, para cima!

fonte:
http://rt.com/usa/163644-colorado-marijuana-crime-drop

Legalização vc Descriminalização

Então, por que escolher legalização ao invés da descriminalização? Portugal tem descriminalizado, e as coisas parecem estar indo bem. Bem, tudo se resume a crime. Sim, a descriminalização certamente ajuda a reduzir o dano aos usuários, e é certamente melhor do que a proibição, mas não resolve os problemas subjacentes de forma tão eficaz como a legalização.

Sob a descriminalização não ser mais um crime de possuir uma pequena quantidade de drogas, mas ainda pode resultar em drogas que estão sendo confiscadas e uma multa civil a ser emitida. Com a descriminalização apenas, a produção e venda de drogas continua sendo sendo, o porte não. Isso significa que não pode haver regulamentação, e sem regulamentação o aperto de gangues criminosas não pode ser quebrado, já que não há lugar seguro para obter as drogas, então as pessoas continuam comprando onde? Do mercado negro, é claro. Como resultado, a descriminalização simplesmente age como um band-aid, deixando-nos a lidar com os efeitos do uso de drogas melhores, sem realmente fazer as coisas mais seguras e resolver de fato os problemas gerais.

Através da legalização das drogas, podemos garantir que elas estejam sendo usadas com segurança, um golpe prejudicial ao crime, e gerando empregos e bilhões de euros para a economia.

Além de todos esses dados e motivos técnicos completamente claros sobre a legalização ser melhor do que a proibição das drogas, temos outras razões, as razões sociais e humanas, que nunca cansamos de bater nessa tecla aqui no Blog Planeta Maconha. Afinal, um sujeito adulto, pai de família, trabalhador e que viva de acordo com a lei, com seus pagamentos de impostos, que não são poucos no Brasil diga-se de passagem, e que trabalha o dia inteiro, e ao final deste dia gosta de sentar-se em sua poltrona e fumar um baseado, esse cara simplesmente tem todo o direito a isso! E quem vai dizer o contrário? Tenho certeza que muitas pessoas que fazem o mesmo, mas que ao invés do baseado gostam de um copo de cerveja ou vodca, vão se dizer contra, mas e se proibissem você de fazer o mesmo com seu copo de bebida alcoólica? O que seriam dos happy hours de sexta feira que muitas empresas promovem para dar aquela relaxada nos seus funcionários? Seria melhor que os happy hours disponibilizassem o que o sujeito gosta de relaxar, se é uma cerveja, que seja, se é um bom broto de maconha para se fumar, deixa o ser humano ser feliz!

Um comentário:

  1. http://bhcidadao.com.br/descriminalizacao-da-maconha/
    Acredito que em algum momento as drogas serão descriminalizadas para reduzir o poder do tráfico ou para diferenciar o traficante do usuário, entretanto, em vez de simplesmente descriminalizar, o governo pode autorizar o uso recreativo da maconha em casa, autorizando que cada usuário possa plantar a maconha e cultivá-la para o seu próprio consumo, eliminando assim o traficante.

    ResponderExcluir